#SaoPaulinasUniformizadas: conheça o grupo que pede camisas femininas

Rubens Chiri/saopaulofc.net

Ir ao estádio torcer para o time do coração é algo muito comum. Criar um grupo no WhatsApp com esse pessoal é consequência. O que foge à regra desses hábitos tão frequentes é iniciar uma campanha de tanto alcance que faz com que o clube se manifeste. Foi isso que aconteceu com o grupo de WhatsApp “São Paulinas & Revoltadas”, que lançou a tag “#SaoPaulinasUniformizadas” no Twitter.

Como o próprio nome do grupo já diz, todas são-são-paulinas. Mais do que isso: todas se conheceram por conta do São Paulo. “Eu conheci as meninas em outros grupos do WhatsApp, Twitter e/ou na própria arquibancada”, confirma Mayara Kutschen, uma das integrantes do grupo que lançou a tag #SaoPaulinasUniformizadas à reportagem do Torcedores.com.

De acordo com Mayara, o grupo começou com cerca de doze meninas. “Ele foi ficando grande, e todo mundo começou a querer participar. Fechamos o grupo com vinte pra não virar bagunça”, completa.

Outra integrante do grupo, Gabriela Nogueira tem uma história um pouco diferente: “Eu só conhecia umas quatro meninas do grupo, que eu falo mesmo (que ia para o jogo e tudo mais) eram só duas. Quando vou para os jogos é com elas que vou sempre”.

Mais do que falar do futebol do clube do coração, elas também comentam de outros assuntos ligados ao SPFC. Um deles foi a falta de camisas de jogo para o público feminino. “Se você for no site da SPMania [loja oficial do SPFC] você encontra blusa rosa, decote, regata… mas e camisa de jogo? Simplesmente nunca tem”, reclama Mayara, que continua: “Eu tenho seis camisas oficiais: cinco infantis e uma P masculina. Esse problema é anterior à chegada da Under Armour, já que eu tenho uma camisa da Penalty que também é infantil. Acho que o problema não tá só na fornecedora, o clube também não dá aquele “Alô, vamos multiplicar aí os materiais femininos por que mulher também torce”‘, completa.

A campanha

A tag #SaoPaulinasUniformizadas surgiu nesse contexto. Integrantes do grupo logo começaram a twittar para alertar sobre o problema:

Rapidamente os tweets ganharam apoio de homens que querem que o São Paulo seja mais igualitário:

Até mesmo torcedoras de outros clubes apoiaram a causa:

O pronunciamento

Gabriela não esperava tanta repercussão por conta da hashtag no Twitter: “O legal foi que o pessoal se mobilizou, nunca recebi tanto carinho nas menções”. Ela (que já havia pedido um pronunciamento do clube, bem como a reportagem via e-mail) e todas as demais são-paulinas se surpreenderam positivamente com a sequência de tweets a seguir, do próprio São Paulo Futebol Clube em suas redes sociais:

Agora, resta saber se o clube cumprirá sua promessa e aumentará o estoque de camisas de jogo femininas. A torcida espera com ansiedade – e mobilizada.

LEIA MAIS
SÃO PAULO NUNCA VENCEU A CHAPECOENSE EM CASA; VEJA O HISTÓRICO
CORINTHIANS NÃO IRÁ COMERCIALIZAR NOVA CAMISA II NO MODELO FEMININO E NIKE EXPLICA O MOTIVO