Futebol x 12 de outubro: o esporte que não cuida das crianças

FORTALEZA, BRAZIL - JUNE 10: A young goalkeeper is beaten by a shot during a practice match at Serviluz favela on June 10, 2014 in Fortaleza, Brazil. (Photo by Michael Steele/Getty Images)

O Dia das Crianças é comemorado em 12 de outubro e o futebol, como sonho da maior parte dos meninos do Brasil, não fica fora disso. Muitos são os movimentos para presentear aqueles que não podem ganhar um brinquedo nesta data, bem como não faltam homenagens das equipes profissionais.

Apesar disso, este esporte que move milhões não cuida das crianças. Segundo o pesquisador Leonardo Bernardes Silva de Melo, o tempo semanal dedicado a escola está em torno de 25h e para o futebol o tempo também está na casa das 25h semanais para todas as categorias – muito semelhante ao que acontece entre os jogadores de futebol profissional. Ou seja, o tempo gasto jogando bola é o mesmo para estudar.

LEIA MAIS:
POR QUE O JOGO CONTRA O EQUADOR É MAIS IMPORTANTE PARA MESSI DO QUE PARA A ARGENTINA?
MARADONA MANDA MENSAGEM PARA IBRAHIMOVIC: ‘PEÇO A DEUS QUE VOLTE A JOGAR FUTEBOL’

Para os jovens que dedicam parte a sua infância e adolescência na busca pelo sonho de se tornar um jogador de futebol, essa caminhada começa cada vez mais cedo. Pesquisas realizadas por Maurício Pimenta Marques e Dietmar Martins Samulski indicam que algumas crianças começam a se envolver com este esporte (sem o caráter lúdico – fazendo testes e sendo federados por clubes) por volta dos 4 a 6 anos de idade.

Diante destes dados, é preciso realmente se perguntar se o futebol está preocupado de verdade com as crianças. É inegável que para aqueles que alcançam o sucesso vale a pena, porém, como se sabe, eles são a minoria da minoria, haja vista a própria Confederação Brasileira de Futebol ter divulgado dados indicando que apenas 18% dos jogadores com contrato recebem mais de R$ 1000,00 por mês.

No futebol brasileiro, muitas crianças são obrigadas a escolher entre correr atrás do sonho de ser jogador e estudar. Mesmo sabendo dos benefícios de realizar o primeiro, o fato de colocar essa questão diante de pessoas tão jovens é deixar claro que este esporte não está cuidando das crianças.

Crédito da Foto: Getty Images