Técnico acerta cabeçada em jogador que reclamou de substituição na Espanha

O técnico do Huesca Juan Antonio Anquela deu uma cabeçada no meia David López, que reclamou após ter sido substituído em jogo da Segunda Divisão espanhola
O técnico do Huesca Juan Antonio Anquela deu uma cabeçada no meia David López, que reclamou após ter sido substituído em jogo da Segunda Divisão espanhola (Foto: Reprodução/Twitter)

Neste sábado, o Getafe venceu, em casa, o Huesca por 3 a 0 e garantiu a classificação para a final do playoff de promoção da Segunda Divisão do Campeonato Espanhol. Quando a partida estava 1 a 0, o técnico da equipe visitante, Juan Antonio Anquela, substituiu o meia David López, que saiu gritando com o treinador. O comandante partiu para cima do jogador.

LEIA MAIS
Especulado em Palmeiras e Corinthians, Gabigol fala sobre seu futuro na Inter
Goleiro falha feio contra Boca Juniors e dá gol de presente a Centurión

O jogador do clube teve que ser contido pelos seus companheiros. Após a partida, o treinador falou sobre sua reação.

“Os jogadores de futebol acreditam que podem falar o que quiserem. Ele me recriminou e eu o recriminei também. São coisas normais dentro de uma equipe de futebol. Não é a primeira vez que algo assim acontece e nem será a última. Não tem o que falar. Parece que nós, treinadores, temos que nos calar sempre e os jogadores podem fazer o que bem entenderem. O respeito tem de ser mútuo”, afirmou Anquela em entrevista ao canal de TV espanhol Movistar.

O treinador tem tomado atitudes polêmicas no Huesca nesta temporada. Anquela chegou a cancelar um treino com a justificativa de que viu que os jogadores estavam sem vontade no treinamento. No mês passado, o técnico expulsou o atacante Vinícius Araújo, ex-Cruzeiro, de um treino quando o jogador o mandou o xingou após levar um bronca.

Lembrança da cabeçada de Djalminha em Irureta

Um caso icônico de cabeçada entre treinador e jogador no futebol espanhol é o do brasileiro Djalminha com o técnico Irureta, no Deportivo La Coruña, em 2002. Naquela ocasião, Djalminha deu uma cabeçada no comandante. Por conta da agressão, Djalminha não foi convocado por Felipão para a Copa do Mundo daquele ano, na qual o Brasil conquistou o pentacampeonato.