Toninho Cecílio detona diretoria do Santo André: “Com esse tipo de gente não trabalho nunca mais”

Crédito da foto: Fabrício Cortinove/EC Santo André

Toninho Cecílio foi demitido do Santo André após derrota para o Linense, por 2 a 0, no Bruno José Daniel, mesmo o time do ABC Paulista estando na terceira posição do Grupo C do Paulistão. Em entrevista ao Torcedores.com, o treinador classificou como “absurda” a demissão já que o time não havia pisado na zona de rebaixamento.

Magoa não é uma palavra que gosto de usar. Ficou uma raiva. Incompreensão. O campeonato era bom, o Santo André tinha acabado de voltar. Quando peguei o time nem era G8 da [Série] A2. Nem pisei na zona de rebaixamento. Um absurdo. Me demitiram uma hora após um jogo. Piada, né? Montamos o time e quer que ganhe todas? Acha que vai voltar para o Paulistão com folha salário lá em baixo, pagando dívidas do ano passado e acha que vai ganhar tudo?”, disparou o Toninho.

LEIA MAIS
CORINTHIANS CELEBRA TÍTULO NA WEB E IRONIZA CRÍTICOS: “VOCÊ DISSE… QUARTA FORÇA?”
CORINTHIANS CAMPEÃO! VEJA OS MEMES DA CONQUISTA DO PAULISTÃO PELO TIMÃO
5 JOGADORES QUE FORAM FUNDAMENTAIS NA CONQUISTA DO PAULISTÃO 2017 PARA O CORINTHIANS

Faltou leitura. Fez um jogo ruim em casa? Perdeu? Calma, vamos trabalhar, mas não me demitir no vestiário. Eu sei quem era. Perdemos em casa, foi ruim, mas vamos ter uma semana para trabalhar. Eu já tinha feito esse processo na A2. Quem me conhece, sabe que trabalho demais, mexo no time, levanto mais cedo. Enfim, eu trabalho“, acrescentou.

Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Responsável pelo acesso do Santo André para a elite do Paulistão, com o título de campeão da Série A2, Toninho afirma que a decisão da direção do clube foi de pessoas sem preparo para estar no futebol.

O Carlos Aurino, Sérgio, entre outras pessoas, não tem preparo. Eles foram se salvar faltando cinco minutos para o campeonato acabar e eu não tinha pisado na zona de rebaixamento. É um direito deles, mas não trabalho mais lá. Fui dirigente e sei como são as coisas. Segurei o Caio Júnior no Palmeiras e depois ele engrenou. É filosofia de trabalho“, afirmou, e destacou que não retorna mais ao clube com a atual diretoria. “Eles tiveram medo do campeonato. Um jogo ruim e manda embora. Tiveram medo. Atitude de medo. Com esse tipo de gente não trabalho nunca mais. Nada contra o clube“.

Além da incompreensão com a saída, o treinador cobra vergonha na cara da diretoria do time do ABC para pagar seus auxiliares. “Honrarão [com a minha saída] por conta do regulamento do campeonato. Meus auxiliares não pagaram. Vieram me pagar o ano passado esse ano por conta da cláusula. Eu tô brigando para coloca-los nesta cláusula. É um processo de vergonha na cara, precisa respeitar o pai de família. Falta conhecer administração. O futebol é um ambiente extremamente carente de conhecimento“, enfatizou.

ESPERA UMA NOVA OPORTUNIDADE

Livre no mercado, Toninho Cecílio espera uma chance de retornar com o fim dos estaduais. A tendência é que surja algum projeto interessante com os clubes se preparando para as disputas de Série A,B e C.

Eu busco Série A e B. Claro, não tem problema em trabalhar na Série C, desde que seja um clube de camisa, que queira chegar e tenha um projeto bacana. Acho que treinador não tem que escolher divisão, mas a gente tem trabalhado em clubes de Série A que tem deixado a desejar em estrutura, falta de pagamento. Às vezes, você encontra na Série B e C clubes melhores que na elite. A expectativa é que venha um clube da Série A ou B“, finalizou.



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.