Santista, jovem da base do Peixe revela: “Faltou pouco para eu jogar no São Paulo”

Crédito da foto: Arquivo pessoal de Ademir Quintino

Andrey Quintino tem apenas 14 anos, o jovem atacante chegou nessa temporada para jogar nas categorias de base do Santos. Nos anos anteriores ele estava na Ponte Preta, por lá ele se destacou e despertou o interesse de grandes clubes do futebol brasileiro.

Em conversa com o Torcedores.com, o atleta explicou os motivos que o fez escolher jogar no Alvinegro Praiano, agradeceu a equipe campineira e disse que o fato dele ser santista pesou em sua decisão.

LEIA MAIS:

ADEMIR QUINTINO REVELA QUE DEVE SE APOSENTAR QUANDO SEU FILHO CHEGAR NO PROFISSIONAL DO SANTOS

CONHEÇA O TALENTOSO ANDREY, JOVEM PROMESSA DA PONTE PRETA

VEJA AS NOTÍCIAS DESTE DOMINGO DO SANTOS QUE ESTÃO BOMBANDO NA WEB

“Eu me imaginava profissionalizado na Ponte Preta, clube que eu defendi durante quase três anos e me acolheu muito bem. Só posso agradecer a cada funcionário da alvinegra campineira que me deu todo o alicerce para eu poder crescer. Mas em outubro de 2016, decidi com minha família que ia sair de Campinas, em razões de problemas pessoais e tinham alguns outros clubes interessados e por pouco não fui para outro grande da capital no começo deste ano. Fiquei parado por uns três meses e faltou pouco mesmo para eu ir para o São Paulo. Tinha o Flamengo também, onde o Ramon que é o técnico do sub-15, trabalhou comigo em 2014, na Macaca, ele falou com meu pai, o Cruzeiro através de um dirigente assistiu às quartas de final do Paulista em 2015 quando fui o melhor em campo, sofri dois pênaltis em um dos jogos contra a Internacional de Limeira e demonstrou interesse e o Internacional que através de um agente nos procurou. Porém, eu cresci vendo meu pai, o Ademir Quintino, trabalhando nos jogos do Santos, o amor que meu pai tem pelo Alvinegro da Vila e sempre fez questão de me passar, sou torcedor que vou aos jogos, além do Peixe ser o clube que mais revela jogadores no país, há alguns anos. Foi uma soma de tudo isso, aliado ao fato de poder morar com meu pai. Não vou precisar ficar em alojamento. Se não tenho a presença da minha mãe que me faz falta e sempre que posso viajo para Paulínia para visitá-la, mas tem meu pai que cuida tudo do extra-campo e me preocupo somente com o que acontece dentro das quatro linhas”, disse.

Crédito da foto: Arquivo pessoal de Ademir Quintino

O jovem atacante ainda comentou sobre suas características de jogos, acredita que a “velocidade” ser seu diferencial, acha sua forma de jogar parecido em campo com outro atleta do time profissional do Peixe, citou os jogadores do Santos em que admira e além disso, salientou ser um “sonho” estar vestindo a camisa do clube da Vila Belmiro.

“Eu tenho características parecidas com a do Bruno Henrique. Sou rápido, gosto de dribles em velocidade e o camisa 27 é o jogador do Santos que eu gosto de ver jogar. Tenho muita admiração pelo Renato, pela classe com que bate na bola, o quanto se cuida fora dele. Também gosto do Ferraz que me dá conselhos quando me encontra, super do bem, o Zeca que é extremamente atencioso comigo e o Thiago Maia pela vitalidade. Eu estou chegando no clube agora, ainda busco meu espaço, sei que serei cobrado em breve por ser filho de um jornalista que cobre a instituição e procuro me preparar para suportar tudo isso. A velocidade é minha maior marca. Não gosto muito de falar de mim. Prefiro que as pessoas observem e analisem. Estar no Santos é um sonho que quase se realizou no começo de 2014, quando fui aprovado pelo professor Luciano Santos, mas preferi ficar com minha mãe na região de Campinas, tinha apenas 11 para 12 anos, mas eu e meu Pai sonhávamos muito com esse momento e ele chegou. Farei de tudo para dar certo aqui e nada é por acaso, tinha que ser agora, mas tenho uma longa estrada para percorrer. Tem muita coisa para acontecer”.

Andrey Quintino não possui empresário, quem cuida e gerencia sua carreira é o seu pai Ademir Quintino, que é comentarista do programa dos canais Esporte Interativo +90 e da Rádio Oficial do Santos, além de ter um BLOG que fala apenas do Peixe e possui 70 mil visitas diariamente. Perguntado se o jornalista teve influência em sua chegada ao Alvinegro Praiano, jovem explica que passou por um teste, onde ficou 14 dias, sendo observado pela comissão técnica do clube. Porém, admitiu que o fato de ser filho de quem é pode ajuda-lo em algumas coisas, já em outros momentos não.

“Minha função é jogar futebol. Se fosse em outro time talvez eu precisasse de um empresario para negociar. Aqui no Santos, não creio que seja necessário. Meu Pai conhece todos e ele vai ser o gestor da minha carreira aqui. Cheguei ao Santos através de avaliação. Meu pai não teve interferência nenhuma. Mesmo com convites de outros gigantes do futebol, fiquei duas semanas sendo observado pela comissão técnica. Só depois do décimo dia soube que o clube desejava ficar com o meu futebol. Como disse acima, prefiro que as pessoas assistam aos jogos no CT ou outro local que jogamos. Daí ela tira as conclusões se tenho qualidade ou não. Fiquei os dois primeiros jogos entre os reservas e nesse fim de semana, aqui, diante do Diadema pude realizar minha primeira partida como titular. Se não tivesse meus méritos, o professor Gustavo Roma não me escalaria. Na vida tudo tem ônus e bônus. Meu pai me ajuda a fazer essa triagem e sei que em algumas coisas o fato de ter o sobrenome dele me ajudara, assim como outras me atrapalharão”, completou.

FICHA TÉCNICA:

Nome:

Andrey Quintino

Idade:

14 anos

Posição:

Atacante

Equipes:

Sumaré (2013), Ponte Preta (2014, 2015 e 2016), Santos (2017)

Títulos:

Copa Brasil – Japão 2015 e Copa Band 2016



Apaixonado pelo futebol que é a melhor invenção do homem, atualmente setorista do Santos e Futebol Feminino pelo Torcedores.com