Presidente do Fluminense comenta sobre reforços para o restante da temporada

Fluminense
Foto: Nelson Perez/ Fluminense F.C

O presidente do Fluminense, Pedro Abad concedeu uma entrevista ao Globoesporte.com e nela ele comentou sobre como está a busca por reforços para o restante da temporada.

Abad afirmou que existe a possibilidade de adicionar algumas peças ao elenco, de forma pontual.

LEIA MAIS:
SAIBA QUANTO O FLUMINENSE LUCROU COM A CLASSIFICAÇÃO PARA PRÓXIMA FASE DA SUL-AMERICANA
MERCADO DA BOLA: FLUMINENSE VENDE ATACANTE A TIME DOS EMIRADOS ÁRABES

“Essa conclusão vai ser tomada a partir de uma análise em conjunto. Se vamos ter reforços, de onde vêm esses jogadores, enfim, todo o planejamento que passa pela comissão de futebol. O Campeonato Brasileiro é mais difícil. A gente precisa de um elenco mais robusto. Pode ser que, pontualmente, a gente tenha reforços. No momento não tem nada de concreto em termos de nomes. Existem conversas, mas nada fechado. O mercado oferece, a gente escuta, é obrigação. A gente faz um mapeamento para ver o que podemos trazer de novidades. Se julgarmos necessário, vamos reforçar o elenco com algumas peças”, disse Abad.

Sobre estar tentando a contratação do atacante Maicon Bolt, formado em Xerém, o presidente afirmou que o Fluminense tem interesse em contratar o jogador.

“Nenhum time envolvido em negociação muda o plano do Fluminense. A exemplo do Conca, sabíamos que o Flamengo queria o jogador, mas naquele momento não cabia no que pensávamos para o elenco. O Maicon é um jogador excelente, formado no clube, não só ele como qualquer jogador está sendo analisado. Pode ser que seja um jogador caro, pode ser que não, com certeza será analisado”.

Abad também comentou sobre austeridade financeira e que precisa conduzir o clube com os pés no chão.

“A opinião do presidente é que as eventuais contratações serão feitas dentro de um padrão orçamentário, decididas pelos profissionais que acompanham o dia a dia de montagem do elenco. Não me cabe nada além disso. Como torcedor tenho essa opinião, mas tenho que deixar os profissionais decidirem e dou a chancela financeira para isso acontecer. Jogadores de alto valor de remuneração mensal não fazem parte do nosso plano, a menos que saiam muitos jogadores da folha, o que não esperamos agora. Entre os estaduais e o Brasileiro sempre tem muita sondagem, todo dia aparece alguma coisa para ser analisada em relação a saída de jogadores, assim como a gente sempre pergunta sobre jogadores que não estão sendo utilizados”, concluiu.