Palmeiras e Corinthians lucram duas vezes mais que o São Paulo em bilheteria no Paulistão

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Assim como na edição passada, os arquirrivais Palmeiras e Corinthians encerraram o Paulistão 2017 com excelente arrecadação com bilheteria. Os dois times tiveram faturamento mais de duas vezes superior ao São Paulo.

De acordo com o Footstats, o Palmeiras foi o líder em renda: R$ 13.223.485,00. O clube mandou sete jogos no Allianz Parque e um no Pacaembu. O Verdão teve o maior ticket médio da competição – R$ 57,98.

VEJA MAIS:
Campeão, Corinthians domina as maiores audiências da Globo no Paulistão 
Cuca não descarta rodízio no Palmeiras para suportar “maratona” de jogos

O campeão Corinthians foi o vice-líder em arrecadação, com números semelhantes ao arquirrival. Nos 9 jogos mandados na Arena, teve renda de R$ 13.088.928,00, com o ticket médio de R$ 52,53. Vale destacar que o valor com bilheteria não entra diretamente nos cofres corintianos e vai para o Fundo que administra as contas da Arena. O clube ainda levará vários anos para quitar as dívidas das obras de sua casa, que custou mais de R$ 1 bilhão.

O São Paulo apresenta uma peculiaridade. Teve a maior média de público na competição (31.514 pagantes), porém, registrou a terceira melhor renda (R$ 5.785.934,00,00), números duas vezes menores que os dos rivais da capital. Dos grandes paulistas, o Tricolor, que mandou sete jogos no Morumbi, teve o menor ticket médio: R$ 26,23.

O Santos, que parou precocemente nas quartas de final, faturou apenas R$ 3.029.995,00 nos sete jogos em que foi mandante, seis deles na Vila Belmiro e um no Pacaembu. O Peixe teve média de 11.131 pagantes e só não teve índice pior porque no jogo contra a Ponte Preta nas quartas de final levou 33.236 pagantes ao Pacaembu.

Veja abaixo os números do quarteto de ferro paulista:

Foto: Reprodução/Footstats

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)