Opinião: Substituto e esquema do Palmeiras sem Felipe Melo na Libertadores

Palmeiras
Fotos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras encara o Jorge Wilstermann pela 5ª rodada da Libertadores 2017 com grandes chances de conquistar sua classificação para a fase de oitavas de final da competição.

Sem Felipe Melo, Eduardo Baptista tem de definir a melhor opção pra compor o setor. O nome ideal é o de Thiago Santos, que possui forte marcação, apesar de não contar com saída de bola nem muita técnica, ao contrário do titular.

Essa partida em especial o Verdão não está pressionado, e por isso pode entrar com um esquema mais compacto, não defensivo como foi no primeiro tempo no Uruguai.

Michel Bastos agrada pela esquerda e se mostra uma opção melhor que Zé Roberto ou Egídio, tanto defensivamente, quando ofensivamente. Outras duas peças que não podem ficar de fora são: Tchê Tchê e Willian.

Nítido que o time de Eduardo Baptista não treinou minimamente o esquema com 3 zagueiros e nem sabe atuar dessa forma. Até porque, como melhor elenco do país, o Palmeiras deve se comportar de outra maneira.

E como dito, a pressão está do lado boliviano, que precisa da vitória para não ser ameaçado por Tucumán ou Peñarol. Basta ao Verdão jogar com inteligência.

O esquema 4-2-3-1 é o ideal, ele que nada mais é que uma das variações do clássico 4-3-3, com Willian, Dudu e Borja no ataque, Tchê Tchê e Thiago Santos no meio ao lado de Guerra, armador principal do time.

A defesa deve aproveitar a base, com Prass, Jean, Mina e Dracena, ao lado de Michel Bastos.

Concorda com essas alterações? Comente!