Opinião: Saída de Rodrigo ainda dá prejuízo financeiro ao Vasco

Foto: Divulgação/Flickr oficial do Vasco

O Vasco da Gama chegou a um acordo com o zagueiro Rodrigo para haver uma rescisão amigável entre o clube o atleta. Fora do Gigante da Colina, onde atuava desde 2014, o ex-capitão passará a defender a Ponte Preta, clube pelo qual foi revelado. Aos 36 anos de idade, o Xerife volta a jogar em Campinas, São Paulo.

Polêmico, Rodrigo se notabilizou dentro de campo por provocar os adversários e, fora dele, por fazer dos microfones mais uma oportunidade para incomodar os rivais. Bicampeão Carioca (2015 e 2016), o zagueiro foi eleito o melhor defensor da competição por três edições seguidas (2014, 2015 e 2016), além de sempre aparecer entre os melhores da posição no país.

LEIA MAIS:
5 JOGADORES QUE NÃO VÊM SENDO USADO NO VASCO COM MILTON MENDES
MERCADO DA BOLA: PROVÁVEL NOVO REFORÇO DO VASCO JÁ TREINA EM SÃO JANUÁRIO

Apesar de amigável, a saída de Rodrigo deixa ao Vasco o ônus de pagar por um atleta que não defenderá as suas cores. Mesmo abrindo mão de receber tudo a que tinha direito, o zagueiro ainda assim deverá ser contemplado com alguma indenização do Gigante da Colina que, com um orçamento bastante limitado, verá parte dele ser destinado para essa finalidade.

O ideia seria que as duas partes conseguisse executar o contrato até o final. Dentro de campo, Rodrigo ainda teria como contribuir com a equipe comandada por Milton Mendes, como também deverá fazer no time de Gilson Kleina. O Vasco perde um jogador importante no seu elenco e se vê, por falta de planejamento e precipitação na renovação de seu contrato, diante de mais um débito – ainda que as partes tenham entrado em um acordo amigavelmente.

Crédito da Foto: Divulgação/Flickr oficial do Vasco