O que mudou na Chapecoense do Brasileirão de 2016 para o de 2017

AP PHOTO/André Penner

O ano de 2017 é o da reconstrução para o time da Chapecoense. Após o terrível acidente que acometeu o vôo 2393 da LaMia no dia 30 de novembro, e que ocasionou a morte de 71 pessoas incluindo jogadores, comissão técnica, jornalistas e tripulação, a equipe passou a ser o segundo time de grande parte dos amantes do futebol.

O Brasileirão deste ano começará com os olhares voltados à Chape. O time que quase encerrou a edição de 2016 era o melhor já montado em sua recente história de 44 anos de existência. Chegando às quartas de final da Copa Sul-americana em 2015 e na final em 2016 (em suas duas primeiras participações). Além de também se sagrar campeão catarinense de 2016.

Mudanças forçadas

Mudou-se praticamente tudo na Chapecoense para o Brasileirão deste ano. Em decorrência da tragédia, o clube precisou recomeçar praticamente do zero e demandou, entre empréstimos e contratações, a chegada de 26 atletas. Dos três jogadores sobreviventes do acidente, dois ainda voltarão a atuar pela equipe. É o caso do zagueiro Neto e do lateral Alan Ruschel. O goleiro Jackson Folmann, que teve uma das pernas amputada, já iniciou uma nova carreira. Agora, como comentarista esportivo do Canal Fox Sports.

Time base de 2016¹:
Danilo, Caramelo, Neto, Thiego e Dener Assunção; Josimar, Gil e Cléber Santana; Thiaguinho, Kempes e Ananias. Técnico: Caio Júnior.

Time base para 2017²:
Arthur Moraes, João Pedro, Nathan, Douglas Grolli e Reinaldo; Moisés, Andrei Girotto e Luiz Antonio; Osman, Wellington Paulista e Arthur. Técnico: Vagner Mancini.

Calendário

Outra grande mudança para o Campeonato Brasileiro de 2017 deve ser a conciliação da Chapecoense com os campeonatos que ocorrem concomitantemente. Se em 2016 precisou conciliar apenas a Copa do Brasil e a Sul Americana, este ano precisará conciliar a Copa do Brasil, a Libertadores e a Copa Suruga. Sem contar que já disputou o estadual (campeã), a Primeira Liga (eliminada na primeira fase) e a Recopa Sul-americana (perdeu o título). Ao fim da temporada 2017, a Chape terá disputado pelo menos 72 jogos oficiais. Um número preocupante para uma equipe em plena reconstrução. Além disso, o Barcelona convidou a Chapecoense para participar do Torneio Amistoso Juan Gamper que ocorrerá no mês de agosto entre os dias 18 e 24. A logística para esse jogo será somada com a da disputa da Copa Suruga.

  • Observações:

    ¹- Equipe que iniciou a última partida oficial dos titulares (Chapecoense 0 x 0 San Lorenzo em 23/11).
    O último jogo oficial foi contra o Palmeiras em 27/11, mas nesse jogo alguns reservas foram utilizados por conta da proximidade com a Final da Sul-americana que seria disputada quatro dias depois.

    ²- Equipe que iniciou a última partida oficial (Atlético Nacional 4 x 1 Chapecoense em 10/05).



23 anos. Jornalista/Pós-Graduando em Marketing Esportivo. Apaixonado por futebol.