Na segunda divisão da China, Moreno revela por que não retornou ao Cruzeiro

Washington Alves / Light Press/ Cruzeiro

No início da temporada muito se discutia sobre uma possível volta do atacante Marcelo Moreno ao Cruzeiro. Os rumores aumentaram ainda mais quando o presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, revelou que iria trazer um jogador de peso para a Raposa, que posteriormente se tornou público que o atleta em questão era Thiago Neves.

Apesar disso, de fato o clube celeste tentou fechar com Marcelo Moreno, que acabou negando um possível retorno ao Brasil para jogar no Cruzeiro. Em entrevista ao GloboEsporte, o boliviano conta o motivo da negativa e a preferência por permanecer no futebol chinês.Atualmente ele joga pelo Wuhan Zall.

LEIA MAIS:

VEJA COMO A IMPRENSA PARAGUAIA DESTACA O DUELO ENTRE NACIONAL X CRUZEIRO

ADVERSÁRIO DO CRUZEIRO, NACIONAL ENCAIXOU MELHOR SEQUÊNCIA NOS ÚLTIMOS CINCO JOGOS

“Quando eu vim pra China, não imaginei que iria me adaptar tão rápido e tão bem, e isso pesou muito para a minha decisão de continuar aqui e não voltar para o Cruzeiro”, disse o atacante boliviano.

“Hoje, considero a minha permanência como parte de um projeto de fazer história no futebol chinês”, complementa Marcelo Moreno, que está atuando na segunda divisão do “Chinesão”.

Além disso, Marcelo Moreno relembra alguns exemplos de jogadores que se deram bem no futebol asiático e acabaram virando ídolos.

“Sei que vários brasileiros foram importantes pro desenvolvimento do futebol no Japão e percebo que a China vem trilhando o mesmo caminho. Como boliviano de nascença e brasileiro de coração, também quero deixar meu legado aqui na Ásia, assim como fizeram Zico, Alcindo, e outros”, finaliza o ex-cruzeirense.

Na Raposa, Marcelo Moreno balançou as redes em 45 oportunidades e entrou em campo com a camisa estrelada por 93 jogos. Moreno é ó maior artilheiro estrangeiro da história do Cruzeiro.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.