Marcelo Ramos revela convite do Atlético em 2005 e alfineta maior rival do Cruzeiro

Site oficial do Cruzeiro/Divulgação

Quinto maior artilheiro da história do Cruzeiro, Marcelo Ramos participou nesta quarta-feira do programa 98FC. Em um bate-papo descontraído, o ex-atacante confirmou mais uma vez seu grande carinho pelo clube, além de relembrar momentos inesquecíveis durante sua vitoriosa carreira.

Contudo, a grande revelação de Marcelo Ramos foi uma proposta de jogar pelo rival Atlético, feita em 2005, pelo então treinador Levir Culpi, comandante da Raposa em 1996, quando o clube celeste venceu a Copa do Brasil, no antigo Parque Antártica, diante de um dos maiores times da história do Palmeiras.

LEIA MAIS:

NA SEGUNDA DIVISÃO DA CHINA, MORENO REVELA POR QUE NÃO RETORNOU AO CRUZEIRO

VEJA COMO A IMPRENSA PARAGUAIA DESTACA O DUELO ENTRE NACIONAL X CRUZEIRO

“Respeito muito o Atlético. O Levir me ligou e tentou me trazer para jogar no clube em 2005. Mas minha história no Cruzeiro não permite que eu fosse atuar no rival”, contou o ex-atacante ao programa da rádio 98FM, antes de alfinetar o Atlético , após ser perguntado sobre a veracidade do recorde de presentes na final do Mineiro de 1997, quando o  Mineirão recebeu mais de 130 mil torcedores.

“Está completando 20 anos daquele título, assim como o da Libertadores. Não deu pra contar, pois estava preocupado com o jogo (risos), mas sei que tinha muita gente. Não era torcida de alto-falante igual algumas torcidas de hoje”, alfinetou o ex-atacante celeste, relembrando a polêmica da última final do Estadual, onde caixas de som estavam viradas para a torcida do Cruzeiro, entoando cânticos do Atlético no estádio Independência.

Já na parte final do programa, Marcelo Ramos declarou seu amor e carinho pelo Cruzeiro, onde viveu seus melhores momentos na carreira.

“Eu sou torcedor [Cruzeiro] e recebo várias homenagens do clube quando venho a BH. Tenho um carinho imenso pelo Cruzeiro, faz parte da minha vida. São 14 títulos com a camisa estrelada e sou quinto maior artilheiro”, finalizou o ex-atacante da Raposa.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.