Análise: Mais participativo, Guerrero cria chances e vira garçom contra o Flu

Guerrero protege bola e faz o pivô contra Henrique (Foto: Divulgação?Gilvan de Souza/Flamengo)

Uma das principais críticas que o atacante Paolo Guerrero sempre sofreu no Flamengo é quanto à sua pouca participação no time. Em 2017,além de ser o artilheiro da equipe, é um dos jogadores que mais criam chances de gol para o rubro-negro. Contra o Fluminense neste domingo, pela final do Campeonato Carioca, essa fase de garçom do camisa 9 ficou evidenciada.

LEIA MAIS
Diego vai ao Maracanã e comenta volta ao time
Lesão de Guerrero, ingressos para a Libertadores e outras notícias do Fla que estão bombando

O esgotamento físico de Guerrero chamou bastante a atenção. O artilheiro do Carioca deixou o campo aos 33 minutos do segundo tempo sentindo cãibras na panturrilha, prova de todo o esforço do peruano, o que inclusive foi enfatizado pelo técnico Zé Ricardo na entrevista coletiva após o jogo.

Um terço das finalizações do Flamengo tiveram a participação de o camisa 9. Apesar de o atacante só ter finalizado duas vezes, ele foi o responsável por outras quatro oportunidades criadas pela equipe rubro-negra. Aliás, com 26 assistências para finalização, ele é o segundo jogador que mais cria chances no ano, atrás apenas de Diego (27) e empatado com Mancuello. Jogando bastante fora da área, o camisa 9 muitas vezes não era acompanhado pelos zagueiros tricolores e tinha liberdade para fazer o pivô e servir seus companheiros.

Guerrero servindo os companheiros no Fla-Flu

Além disso, outro dado que demonstra a maior participação de Guerrero é que ele foi o terceiro jogador do Flamengo que mais deu passes no jogo. Guerrero deu 28 passes (23 certos e 5 errados). Apenas os dois laterais deram mais passes que o atacante (Pará com 26 certos e 6 errados e Trauco com 24 certos e 5 errados).

Alguns números de Guerrero na final do Carioca (Fonte: Footstats)

Pelo mapa de calor, podemos ver a movimentação do peruano fora da área, quase como um 10, jogando mais atrás dos volantes do que brigando com os zagueiros do Fluminense.

Movimentação de Guerrero no jogo contra o Fluminense (Fonte: Footstats)

Há que se destacar também o empenho defensivo do atacante. Guerrero fez dois desarmes na final da Estadual e ainda contribuiu com cinco bolas cortadas na própria área, em lances de bola parada a favor do tricolor. Aos 33 anos de idade, o jogador deixou o campo extenuado após 78 minutos de pura entrega.