Galvão Bueno aconselha Felipe Melo a se preservar: “Pare de dar entrevistas”

Felipe Melo
Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Desde sua chegada ao Palmeiras, Felipe Melo tem sido o principal personagem do Palmeiras. Dentro de campo, com suas atuações seguras, e fora dele também pelas entrevistas para lá de inusitadas. Na primeira coletiva como atleta alviverde, já disse, obviamente no sentido figurado, que “daria tapa na cara de uruguaio” para ilustrar a garra que teria no clube, especialmente na Libertadores.

LEIA TAMBÉM:
Galvão detona Conmebol por briga em jogo do Palmeiras: “Selvageria que dá vergonha”
Juca Kfouri detalha post sobre Eduardo Baptista e cutuca: “Tentou ser analista de imprensa e errou”
EXCLUSIVO: Edmundo revela que Neymar usava sua camisa 7 do Palmeiras em peladas na rua
Palmeiras é prioridade de SP na Globo para a rodada de 4ª feira; veja equipe de transmissão

O problema é que os uruguaios do Peñarol não se esqueceram dessa declaração do camisa 30 do Verdão. Na semana passada, após a vitória do Palmeiras por 3 a 2 em Montevidéu, os jogadores celestes partiram para a briga e perseguiram o volante brasileiro. Em ato de defesa, Felipe deu um soco em Mier e foi escoltado pelos seguranças do Verdão até os vestiários. Desde então, não falou mais com a imprensa.

BRONCA

No programa “Bem, Amigos!”, do SporTV, da última segunda-feira, Galvão Bueno falou sobre o assunto e disse que o jogador do Palmeiras, apesar de fazer um ótimo trabalho dentro de campo, tem que parar de dar entrevistas visando se preservar.

”Que sirva de lição ao Felipe, que está fazendo um belíssimo trabalho no Palmeiras, de que ele não é obrigado a cada entrevista ao final do jogo dar uma opinião polêmica, que tem acontecido isso, porque acaba levando a problemas futuros. Criou um personagem, já foram outras respostas polêmicas desnecessárias”, criticou Galvão.

Em pouco mais de quatro meses no Verdão, Felipe já “causou” várias vezes. O meio-campista provocou o Corinthians e também o Santos, em plena Vila Belmiro, cutucou o prefeito de São Paulo, João Dória, que é santista assumido, acusou jogador do Peñarol de racismo, mas soltou: “A mulher dele deve ter traído ele com um negão”, entre outras atitudes polêmicas.

VEJA MAIS: 
Palmeiras Mil Grau registra festa alviverde e tensão pós-jogo no Uruguai; assista

Galvão negou que esteja tentando perseguir Felipe, mas opinou que o volante tem sua parcela de culpa em toda briga com os uruguaios.

”Ele deu motivo para que começasse a confusão. Ele é inteligente, ótimo jogador, está fazendo um belíssimo trabalho no Palmeiras. Então, Felipe, pare de dar entrevista. Para quê que a cada jogo tem que dar uma entrevista polêmica?”, completou o locutor, que também culpou o técnico Eduardo Baptista por não ter tirado o jogador no fim da partida.

Pela confusão em Montevidéu, o camisa 30 do Palmeiras acabou suspenso preventivamente por três partidas na Libertadores. Da mesma forma Mier, Hernández e Nahitán Nandez pegaram três jogos de pena na competição.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.