Galvão Bueno chora ao se lembrar de Senna: “Ouso dizer que falo com ele”

Reprodução/SporTV

Na última segunda-feira, Galvão Bueno teve sua hora de chorar no programa “Bem, Amigos!”, do SporTV. No dia 1º de maio de 2017, completou-se 23 anos da morte de Ayrton Senna, que faleceu após batida no GP de Ímola, em 1994. Desde a época em que corria pelo mundo afora, o piloto brasileiro tinha uma amizade especial com o narrador da TV Globo, com quem jantou junto na noite anterior do acidente fatal, em San Marino.

LEIA TAMBÉM:
Galvão detona Conmebol por briga em Peñarol x Palmeiras: “Selvageria que me dá vergonha”
23 anos da morte de Senna: relembre 10 momentos inesquecíveis do tricampeão de F1

Por isso, Galvão foi às lágrimas ao falar do amigo tão querido e uma das maiores lendas da história do esporte brasileiro. “Eu penso muito nele, às vezes ouso dizer que converso com ele”, emocionou-se o locutor ao fazer uso da metáfora.

“Eu gosto de me lembrar do meu amigo, meu irmão, 10 anos mais novo que muitas vezes se mostrou mais velho, mais maduro, a quem dei conselhos e recebi também, numa época difícil da minha vida. Igual a ele, me perdoem aqueles que possa imaginar que o Schumacher possa ter sido melhor ou qualquer outro. Igual a ele não existiu e nem vai existir”, completou Galvão.

Ao término da homenagem, Galvão fez questão de mostrar um vídeo que compartilhou nas redes sociais em que narra o episódio do terceiro título mundial do brasileiro, quando deixou seu companheiro de McLaren Gerhard Berger. Em Suzuka, no ano de 1991, Senna deixou seu colega passar na última reta, já que o título estava assegurado.

Assista!

“Ayrton Senna, Becão, meu irmão, você está em outra dimensão. Absolutamente especial, porque você merece. Um beijo”, despediu-se Galvão.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.