Flamengo usará Palmeiras e Allianz Parque como ‘modelo’ na construção de novo estádio

Allianz Parque
Foto: Facebook/ Arena

O Flamengo e a Prefeitura do Rio de Janeiro assinaram nesta sexta-feira (12) um protocolo de intenção de construir um novo estádio acústico na sede da Gávea com capacidade de 25 mil pessoas. No projeto, os cariocas pretendem usar o Palmeiras e o Allianz Parque como modelo na idealização da nova casa flamenguista.

Tanto o presidente do Rubro-Negro, Eduardo Bandeira de Melo, quanto o prefeito da cidade, Marcelo Crivella, falaram sobre como usaram o projeto dos paulistas na construção da sua Arena para solucionar alguns impasses que atrasavam o sonho do Flamengo.

LEIA MAIS: Bandeira fala sobre estreia do Flamengo no Brasileirão: “Cheirinho de hepta”

“O estádio acústico do Palmeiras é um modelo que serve de exemplo para nós. É possível fazer com que as pessoas brinquem, celebrem sem atrapalhar os moradores vizinhos. Os moradores do Selva de Pedra não deixarão de ver filmes ou novelas. Não serão incomodados”, explicou Crivella.

O prefeito do Rio faz menção ao condomínio Selva da Pedra que fica ao lado da Gávea. Um dos maiores entraves para a construção do estádio era a sociedade de moradores que residem perto da área, que reclamavam do possível barulho e problemas de trânsito que a ideia do Flamengo poderia causar.

Para isso, Crivella explica que o Allianz Parque pode servir de exemplo já que fica em uma área residencial de São Paulo e é hoje considerado um sucesso de público e gestão. “É possível fazer um estádio acústico, é bom destacar essa palavra, na Gávea. Não havia tecnologia e nem metrô, então sempre esbarrava no trânsito. Como vamos colocar 25 mil pessoas num estádio? O Estado levou o metrô até à Gávea. Vai haver convênio para os jogos”, completou o prefeito.