Denílson enfrenta o Palmeiras no Tribunal por quantia milionária

Palmeiras
Foto: Reprodução TV/Bandeirantes

O pentacampeão Denílson atuou com a camisa do Palmeiras em 2008, depois de anos jogando no exterior, e conquistou o Campeonato Paulista daquele ano. Quase dez anos depois, o ex-jogador e atual comentarista e apresentador do programa “Jogo Aberto”, da Band, vai enfrentar o Verdão no Tribunal Superior do Trabalho-DF na próxima semana na luta para receber R$ 1.047.000,00.

De acordo com reportagem do “ESPN.com.br“, o valor corresponde a a diferença de 5% para 20% dos direitos de arena pelo período em que defendeu o clube.

LEIA MAIS:

EMPRESTADOS DO VERDÃO ENTRAM EM LISTAS DE MELHORES DOS CAMPEONATOS ESTADUAIS
POSSÍVEIS REFORÇOS DOVERDÃO SÓ PODERÃO ESTREAR NA NONA RODADA DO BRASILEIRÃO; ENTENDA
CUCA DEU AVAL A QUATRO REFORÇOS ANTES DE SAIR EM DEZEMBRO
MERCADO DA BOLA: VERDÃO QUER CONTRATAR LATERAL DANILO AVELAR
ALVIVERDE VAI CONTINUAR PAGANDO SALÁRIOS DE ALECSANDRO ATÉ DEZEMBRO; ENTENDA

O advogado que representa Denílson, Leonardo Laporta, confirmou que o julgamento será realizado no próximo dia 17 de maio, em Brasília.

O ex-jogador já conseguiu, em segunda instância, o direito de receber 5% dos direitos de arena, mas luta para reverter a decisão do Tribunal para que tenha direito a 20%. O Palmeiras não comenta o assunto.

Denílson retornou ao futebol brasileiro em 2008 após 11 anos jogando no exterior e jogou no Palmeiras durante uma temporada, atuando em 38 partidas e marcando quatro gols.

Recentemente, em entrevista ao programa “No ar”, do Esporte Interativo, o comentarista revelou ter gratidão pleo Palmeiras, que lhe abriu as portas na volta ao Brasil, ao contrário do São Paulo, clube que o revelou.

“As pessoas me perguntam se eu sou Palmeiras ou sou São Paulo. A minha resposta é a seguinte: ‘O Palmeiras me fez terminar a carreira de forma digna, de maneira vitoriosa, de uma forma brilhante. Eu poderia ter ido terminar minha carreira em qualquer outro lugar”, disse Denílson.

O que significa direito de arena?

Em resumo, é o valor que os jogadores recebem por aparecerem na TV, mas que é diferente de diretos de imagem, salários e prêmios. Sua regulação jurídica se encontra no artigo 42 da Lei Pelé, de 1998, que estipula 20% do valor como o mínimo ao que os atletas têm participação.

No entanto, os clubes pagam apenas 5%, porque em 2000, um novo acordo judicial entre o Clube do Treze, CBF e federações estaduais estipulou a redução da porcentagem inicial.

 

Por essa diferença é que os jogadores buscam seus direitos na Justiça.