Cueva é julgado por TJD-SP e leva advertência por lance com Fagner

Cueva
Foto: Paulo Pinto/saopaulofc.net

Assim como o corintiano Fagner, Cueva também foi julgado na tarde desta terça-feira (02) na sede da Federação Paulista de Futebol. Ao contrário do rival que pegou um jogo de suspensão, o peruano foi apenas advertido pelo Tribunal de Justiça Desportiva-SP.

Os jogadores de Corinthians e São Paulo foram enquadrados no Artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD)  por “praticar ato desleal ou hostil”, onde a pena poderia ir de um a três jogos.

Roberto Armelin foi o advogado do São Paulo no caso de Cueva. Na defesa do camisa 10, o representante usou do histórico do peruano para tentar a absolvição do peruano.

“Foram nove expulsões na carreira. No São Paulo, apenas uma, e ainda foi de forma equivocada. Se o jogo for julgado por imagens posteriores, precisaremos de muitas câmeras”, disse Armelin. “Cueva é um atleta disciplinado, exemplo, o camisa 10 do time. As imagens são claras. Não houve agressão moral ou conduta hostil”, completou o advogado, que pediu para que se houvesse punição, que ela fosse convertida em advertência.

A procuradoria respondeu durante o julgamento que houve gravidade em ambos os casos, já que Cueva e Fagner se agrediram no duelo do último dia 23. “Gravidade não se pede por resultado, e sim por circunstância. O caso é grave pelas circunstâncias. Não me parece admissível que atletas de dois grandes clubes tenham essas atitudes”, justificou.

No fim, após dois votos para punição em Fagner e Cueva e dois para advertência, Antônio Olim, presidente do TJD-SP deu o veredito e puniu o peruano com advertência e o lateral com um jogo de suspensão.

ASSISTA AS AGRESSÕES COMETIDAS POR CUEVA E FAGNER: 



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.