Fifa quer alterar regra para candidaturas para Copa do Mundo

Reprodução/Site Oficial da Fifa

A Fifa pode alterar nos próximos dias o processo de candidatura para países-sede à Copa do Mundo. Uma mudança nas regras para futuras sedes do Mundial pode ser aprovada pela máxima entidade do futebol na reunião do Congresso da federação, no Bahrain.

A alteração se refere a uma lei feita pela entidade que proibe que países de um continente sediem Copas nas duas edições seguintes a que uma nação filiada recebeu. Como exemplo, o Brasil, que sediou 2014, faria com que a América do Sul não pudesse ter candidatos a país-sede da Copa em 2018 e 2022. O mesmo acontece com a Rússia, que tirou países europeus da candidatura a sediar os torneios de 2022  e 2026.

LEIA MAIS

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO CAMPEONATO COLOMBIANO

TÉCNICO E CEO DO BORUSSIA SE DESENTENDEM APÓS ATAQUE AO ÔNIBUS DA EQUIPE

BIELSA ELOGIA RODRIGO CAIO APÓS FAIR PLAY EM SÃO PAULO X CORINTHIANS

A mudança será discutida e votada no Congresso da Fifa, que mudará a restrição para apenas o Mundial seguinte. De acordo com o jornal inglês Daily Mail, a maior beneficiada é a China, que é especulada como possível sede da Copa de 2030.

Os chineses ainda não apresentaram uma candidatura oficial, mas dentro da Fifa, existem indícios de que o país irá o fazer nos próximos anos. Com a atual regra, o país só poderia se candidatar para a Copa de 2034, pelo fato do Qatar sediar a Copa do Mundo de 2022.

Para a Copa do Mundo de 2026, a candidatura tríplice de Canadá, México e Estados Unidos é tida como a única que deve concorrer pela chance de receber o Mundial. Para a edição de quatro anos depois, os chineses teriam a concorrência de Uruguai e Argentina. Uma candidatura motivada pelo centenário da Copa, a ser comemorado em 2030. A primeira edição foi sediada em solo uruguaio.

(Crédito da foto: Reprodução/Site Oficial da Fifa)