Após anos de prejuízos, professor tenta dar a volta por cima no Cartola

Foto:Ricardo Vitorino/Arquivo pessoal

Tendo seu início em 2005, e conquistado seguidores de forma abrupta a cada ano , o Cartola FC sempre teve a sua inscrição de forma gratuita. A excecção é a versão PRO(desde2016), para aqueles que desejam ter uns privilégios a mais no divertimento.

Paralelamente a este crescimento , os cartoleiros foram adaptando meios já utilizados em outros jogos e apostas , fazendo com que a brincadeira fosse ficando mais atrativa, angariando mais adeptos.

A adesão cobrada em algumas ligas criadas por usuários, premiando por diversos tipos de méritos, virou uma febre entre os participantes.

Em Tabaúna, distrito de Aimorés-MG, onde vivem cerca de 1500 habitantes, não poderia ser diferente. O professor de Biologia, Ricardo Vitorino (Kaká), 34, participa do cartola desde 2011, sendo que em 2013 passou a ingressar em ligas pagas. “A partir de 2015 comecei a interagir com outros jogadores , e a me dedicar mais, participando de mais ligas apostadas. O prejuízo foi grande (risos), na casa dos 500 reais” .

Como ocorre em outros jogos do nosso cotidiano, as relativas perdas da época anterior não fizeram com que o professor adotasse uma forma mais parcimoniosa de disputar a brincadeira: “Em 2016, além das duas ligas clássicas, entrei em bastante mata-mata, inclusive numa destas fizemos no papel e caneta, ninguém da turma era ‘PRO’ (risadas). Perdi neste período seguramente, cerca de dois mil reais”.

Kaká tem duas paixões futebolísticas, o Corinthians e o Sul-América , centenário time da região, onde atua como meia-atacante. Seu time no Cartola é o Peroba GO, em homenagem ao seu pai, Peroba, uma das lendas do ‘Sula’, morto em 2006.

O apego pelo Corinthians é um dos motivos pelo quais, constata, não ter êxitos e lucros com o fantasy game. “O clubismo me atrapalha muito. Nunca escalo jogadores contra o Corinthians, e sempre procuro colocar alguém do timão entre os doze possíveis. Este ano procurarei ir mais pela razão, além de seguir as dicas de sites e especialistas, coisa que antes ignorava, e também pesquisar coisas sobre os times que a mídia pouco fala”.

Agora cadastrado como cartoleiro PRO, Kaká espera ter mais ganhos, mesmo gastando ainda mais com apostas. “Devo investir uns 3 mil ou 4 mil reais entre quatro ligas clássicas e os mata-mata que virão. Estou até em liga que só disputam eu e mais dois colegas de trabalho, na qual a aposta é um lanche ao término do Brasileirão”, finaliza.