Apresentadora supera preconceito masculino para brilhar em programa sobre carros na Globo

Divulgação/Facebook Oficial

A apresentadora do programa “Auto Esporte”, da Rede Globo, Milena Machado, não é nem um pouco inexperiente para falar sobre carros. Jornalista que já atuou como fotógrafa de casamentos, ela falou com exclusividade ao Torcedores.com sobre o começo no jornalismo, preconceito e o aprendizado no mundo dos automóveis. Além disso, contou sobre o grande hobby: cozinhar.

Ela revela que, antes de começar no “Auto Esporte”, entendia pouco de carros. “Gostava de carro, mas não sabia nada sobre eles. Foi uma aposta da emissora a minha contratação. Eu me comprometi a ‘aprender fazendo'”, disse.

Confira o papo na íntegra:

Torcedores: Como você começou no jornalismo?
Milena Machado: Trabalhei como fotógrafa profissional por quatro anos, em aniversários e casamentos. Na época, já era repórter de TV, alguns convidados mais distraídos até arriscavam dizer que eu me parecia com alguma atriz da TV. Meu primeiro emprego na área da comunicação foi o de atendente ao ouvinte na Rádio Nativa FM em São Paulo. Recebia ligações, anotava pedidos, gravava mensagens de voz dos ouvintes. Fui até a emissora saber detalhes de uma promoção de show e acabei ganhando um estágio. Depois fui assessora de imprensa de bares e restaurantes. Aí, em 2001, entrei para a TV e passei por seis emissoras: RIT TV, IPC TV, Canal 21, Rede TV!, Band News TV, TV Bandeirantes e, desde 2011, TV Globo.

LEIA MAIS:
NOVO GOLPE POR WHATSAPP ATINGE TORCEDORES DE CLUBES BRASILEIROS

Torcedores: Como e quando surgiu o convite para apresentar o “Auto Esporte”?
Milena Machado: Eu estava há quase sete anos trabalhando ao vivo diariamente. O jornalismo diário exige muito do apresentador: atualização, concentração, memoria e distanciamento do fato, além de resistência física. Fiz duas entradas longas (de cinco e quatro horas seguidas, com intervalo apenas de meia hora pra comer um pão de queijo e tomar um café) na posse do presidente americano Barack Obama; passei a madrugada cobrindo o Oscar (estudei por dias o assunto, tinha os nomes e a história dos concorrentes na ponta da língua) e fiquei sete horas seguidas (sem nem levantar para usar o banheiro) narrando a tragédia do acidente da TAM em São Paulo. Quando não se sabia o que tinha ocorrido usei a memória (alguns acidentes aéreos tinham ocorrido na mesma pista dias antes, chovia em São Paulo há dias (a pista sempre foi criticada pelo tamanho muito curto, etc). Aliás foi esta cobertura que me tirou do canal a cabo (Band News TV) e me levou pra TV aberta (Band). Estava cansada dessa correria, precisa dar um tempo no estresse jornalístico, resolvi partir para uma atração gravada e semanal na esperança de trabalhar menos, mas não foi bem assim. Trabalho muito do mesmo jeito. Cheguei à conclusão que amo o que faço por isso sempre serei muito dedicada. Hoje, seis anos depois, até bate saudade de vez em quando dos “ao vivo”, acredita?

Torcedores: Você já gostava de carros antes de apresentar o programa?
Milena Machado: Eu gostava de carro, mas não sabia nada sobre eles. Foi uma aposta da emissora a minha contratação. Eu me comprometi a “aprender fazendo”. A orientação era trabalhar sempre pensando nas mulheres (que cada vez mais determinam a compra de um automóvel) e na nova classe C (que em 2011, se empoderava economicamente e se lançava ao consumo de bens duráveis, como o carro). E assim me fiz no programa, como uma representante de todas essas pessoas!

Torcedores: Como é a repercussão do seu trabalho perante o público masculino?

Milena Machado: Tanto entre homens como entre mulheres tenho sido cada vez mais reconhecida por minha qualidade vocal, que tem uma boa explicação: para compreender e se comunicar com uma prima muito amada e deficiente auditiva, fiz sessões de fono, quando criança, e, desde então, sempre eu me propus a falar articuladamente, de frente e com muita simpatia. Características essas, marcantes, que determinaram meu perfil profissional. Entre os fãs do programa (de novo homens e mulheres!), percebo que sou admirada por minha simplicidade e espontaneidade – muitos me acham linda e sexy também e escrevem isso e declarações nas redes sociais. Eu fico feliz com todo esse carinho deles, claro!

Torcedores:Já sentiu algum tipo de preconceito por ser mulher e estar falando do mundo automotivo?
Milena Machado: No começo o desafio foi enorme: assunto masculino – meninas brincam de boneca, uma editoria técnica e tecnológica – inovações de mecânica, eletrônica, materiais e design, o objeto de desejo de todas as classes sociais – símbolo de status, liberdade de ir e vir, conforto e beleza. Cada dia uma novidade e um aprendizado, precisa ter muito foco para absorver o conteúdo necessário e muita criatividade para traduzir o assunto com leveza, alegria e praticidade, já que o programa passa uma vez por semana e ‘e um domingo de manhã! Sobre preconceito…Sim, já passei por poucas e boas! Teve dono de carro que perguntou se eu tinha carteira de motorista para guiar o carro dele, teve quem me proibiu de tocar no carro (sim, nem tocar eu pude), outros fizeram questão de me levar no banco do carona…Vai saber o que motivou tanta rejeição no começo. O fato é que há algum tempo eu superei isso tudo! Hoje os colecionadores e donos de carro querem que eu dirija os automóveis deles, que eu vá sozinha e depois conte o que achei do carro, que eu pose ao lado dos automóveis para eles fazerem muitas fotos. Bom, hoje, eles acham que eu valorizo os carros. Ou seja, virei o jogo, que delícia!

Torcedores: Sente que as mulheres, cada vez mais, se interessam pelo tema?
Milena Machado: Já reparou que há algum tempo os maridos têm confiado às suas esposas as visitas às oficinas? As mecânicas até mudaram, você percebeu? Estão mais limpas, têm banheiro feminino separado do masculino, servem café, oferecem serviços de manicure…O público do “Auto Esporte” é praticamente apenas metade masculino, acredita? As mulheres adoram assistir! E elas querem saber mais além de carro, também perguntam sobre a cor e o corte do meu cabelo, a marca do meu batom, a loja da minha roupa. Claro que os homens também são muito curiosos, mas o objetivo deles é saber que carro eu tenho ou qual é o melhor carro no Brasil. Eu tomo um cuidado na resposta, porque eles sempre concluem que o o carro que eu tenho é o melhor! Eles dizem: ela é a apresentadora do principal programa de carro da TV, ela sabe escolher! E, cá entre nós, eles têm razão!

Torcedores: Você disse em entrevistas que o fato de ter usado saia na apresentação do programa foi muito pensado. Temiam que o uso da saia tirasse o foco do telespectador e caísse numa relação sexista entre mulheres e carros?
Milena Machado: Ao longo destes seis anos que eu apresento o “Auto Esporte” o figurino mudou muitas vezes! No começo o diretor queria que eu só usasse calca jeans, bota e jaqueta. No ano seguinte mudamos de estúdio e sandália e camisas já eram permitidas. Depois as blusas estampadas e as calcas de sarja coloridas ganharam espaço, começamos a gravar externas. Aí o tipo de microfone mudou e foi liberado usar colar, então as o jeans voltou e as camisetas passaram a ser lisas. Hoje, uso roupa de couro sintético, regata, saia (uma vez) e vestido (uma vez). E nesse breve resumo que eu fiz, você pode ver que o briefing do figurino passa por vários motivos: gosto do diretor, limitações técnicas e até a moda. Agora eu nunca ter mostrado as pernas até então gerou sim muito boato e curiosidade, teve gente que me procurou inbox no LinkedIn para perguntar se eu tinha problemas de locomoção ou sofrido algum acidente que justificasse eu não mostrar as pernas na TV… Imaginação!

Torcedores: Gosta mais de dirigir carros novos, antigos ou tanto faz?
Milena Machado: No dia a dia prefiro guiar carros novos por diversos motivos: motores mais eficientes, ar-condicionado, cinto de segurança, freios ABS. Dirigir carro antigo é um desafio do programa, os bancos geralmente não tem regulagem para distancia de pernas, a passagem de marcha é quase sempre complicada, a visibilidade dos espelhos, para-brisa e retrovisores é pequena… O que atrai no antigos é mais o valor histórico e o design mesmo. Agora, pilotar fogão é comigo mesmo! Adoro cozinhar, mas apenas receitas práticas (risos). Nada de ficar o dia todo na cozinha…É fã de peixe assado, kibe, saladas variadas, amo risoto e nunca recuso um brigadeiro.  Minha culinária preferida é a japonesa!

 

Divulgação/Facebook Oficial