Análise do Cruzeiro: Como a Raposa chega para o Campeonato Brasileiro 2017

Cruzeiro x Chapecoense
Foto: Divulgação/ Site Oficial do Cruzeiro - Fotógrafo: Washington Alves/Light Press

O Brasileirão já começa neste fim de semana, e mesmo antes de seu início, os torcedores futebolísticos já estão a decifrar que são os favoritos ao título. No início do ano, muitos colocavam o Cruzeiro entre os possíveis times que lutarão lá em cima pela taça do campeonato, mas será que depois das derrotas recentes a sensação ainda é essa?

A equipe celeste contratou reforços que vem empolgando os torcedores. Um deles, uma baita surpresa: o lateral-esquerdo Diogo Barbosa é tido por muitos como o melhor jogador do time dos contratados para 2017. O jogador já chegou assumindo a lateral e não saiu mais. Com grande poderio ofensivo, Diogo tem se tornado uma das principais peças de Mano Menezes. Só que o Cruzeiro não contratou apenas promessas, chegou também o já renomado Thiago Neves, que vem sendo um dos piores contratados.

LEIA MAIS

PALMEIRAS ESTREARÁ NOVO UNIFORME CONTRA O VASCO, PELO BRASILEIRÃO

CONQUISTA DO CRUZEIRO NO VÔLEI EVIDENCIA PRECONCEITOS NO ESPORTE

DOUGLAS REVELA QUEM É O CAMISA 10 IDEAL PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA

O camisa 30 chegou com grande status ao clube mineiro. Contratado como presente do clube para o torcedor, Thiago Neves logo que anunciado foi ovacionado pelos cruzeirenses. Mas o início de sua trajetória não foi das melhores. Graças ao seu antigo clube na Arábia, o Al Jazira, suas documentações foram atrasadas e o meia teve que recorrer à FIFA para poder estrear. Num início regular, em algumas partidas Thiago mostrava para que veio, sempre quando atuava próximo a Arrascaeta, porém, assim como o time, o jogador caiu muito de rendimento e hoje sua titularidade já é questionada.

A trajetória inicial de Thiago Neves vestindo a camisa azul é semelhante ao desempenho do Cruzeiro na atual temporada. As contratações foram boas, chegaram ao clube, o lateral Diogo Barbosa, Thiago Neves, o zagueiro Kunty Caicedo, os volantes Lucas Silva e Hudson, além do lateral John Lennon, que chegou no decorrer da temporada, contratado como um dos destaques do campeonato gaúcho. Em um início empolgante, o Cruzeiro foi durante muito tempo, o único clube brasileiro sem nenhuma derrota na temporada. O primeiro revés veio somente contra o São Paulo, mas mesmo assim a Raposa eliminou o rival paulista.


CONTRATAÇÕES DO CRUZEIRO 2017

Diogo Barbosa (lateral-esquerdo) – Botafogo

Thiago Neves (meia) – Al Jazira

Hudson (volante) – São Paulo

Lucas Silva (volante) – Real Madrid

Kunty Caicedo (zagueiro) – Independiente Del Valle

John Lennon (lateral-direito) – Cruzeiro (POA)


A empolgação era imensa, além de eliminar o tricolor, o Cruzeiro já havia conseguido uma vitória contra o seu maior rival, o Atlético-MG, por 1 a 0, pela Primeira Liga, e mais tarde, viria a conquistar outra vitória,  por 2 a 1, pelo Mineiro, aumentando o jejum de vitórias contra o clube alvinegro. A empolgação do torcedor aumentava cada vez mais, e grande parte das pessoas que acompanham futebol já tinham certeza: “O Cruzeiro é um dos melhores times nesta temporada”. Sob comando de Mano Menezes, o time mostrava que esse ano seria diferente dos dois últimos e que enfim o clube poderia brigar por um título. Porém, o encanto tinha data para acabar.

Com bastante sofrimento, contando com grandes defesas do goleiro Rafael, o Cruzeiro eliminou o América e chegou à final do Campeonato Mineiro para enfrentar o rival alvinegro. Na primeira partida, a equipe celeste conseguiu dominar o jogo, criando mais oportunidades ofensivas, mesmo com tantas chances, a Raposa não conseguiu tirar o zero do placar e saiu do Mineirão contando com uma vitória no Independência.


CRUZEIRO 0 X 0 ATLÉTICO – IDA / ATLÉTICO 2 X 1 CRUZEIRO – VOLTA

Passes certos: 430 / 368

Passes errados: 42 / 29

Finalizações: 14 / 12

Cruzamentos: 27 / 26

Desarmes: 25 / 10

Faltas cometidas: 16 / 22

Cartões: 0 / 6 (5 amarelos, 1 vermelho)

Fonte: Footstats


E a partida no Horto foi totalmente diferente do jogo de ida. O Atlético-MG conseguiu dominar o jogo, criou as maiores chances, buscou mais a vitória, e conseguiu, venceu o rival azul por 2 a 1 e saiu com o título mineiro. Um ponto fora da curva? Poderia ser, porém a derrota para o rival fez desabar todo o projeto inicial cruzeirense. Não somente a derrota, mas as consequências que ela trouxe ao clube.

Toda empolgação do torcedor caiu junto com o time. Após perder o campeonato estadual, a Raposa entrava em campo pela Sul-Americana, e enfrentando um adversário teoricamente inferior ao clube. Dessa vez a partida era contra o Nacional (PAR), um dos piores clubes no Campeonato Paraguaio. A equipe mineira já havia conseguido vencer o primeiro confronto, no Mineirão por 2 a 1, agora qualquer empate levaria para a próxima fase da competição. E parecia que daria tudo certo. Com Thiago Neves, e, como Thiago Neves, em um momento da partida parecia que o Cruzeiro já havia esquecido a derrota no clássico, tanto que o meia marcou o primeiro gol da partida, o que facilitava a classificação. Porém, jogador e time caíram de rendimento na partida e a Raposa sofreu a virada e acabou sendo eliminada nos pênaltis.

Agora, toda aquela empolgação inicial parece que chegou ao fim. Os torcedores pedem a cabeça de Mano Menezes e o momento de paz vivido pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares agora se transformou em um momento hostil. Resta saber se o clube terá cabeça e maturidade para superar o atual momento vivido e conseguirá levar ao torcedor aquela sensação de que o clube poderá novamente estar entre os favoritos à conquistas neste ano. Nos próximos duelos, contra o São Paulo, em estreia do Brasileirão, e contra a Chapecoense, pela volta da Copa do Brasil, poderão responder a algumas dessas perguntas.