Análise: Corinthians forte no mata-mata. Está pronto para brilhar em pontos corridos?

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O balanço do Corinthians na primeira metade da temporada foi acima do esperado. O desacreditado time de Fábio Carille conseguiu o título do Paulistão sem perder nenhum clássico e permaneceu firme rumo ao inédito título da Sul-Americana. Na trajetória, houve uma decepção: a queda para o Inter na quarta fase da Copa do Brasil, rapidamente assimilada pelo elenco.

Em 26 jogos oficiais na temporada, o Timão somou 15 vitórias, nove empates e apenas duas derrotas, tendo aproveitamento muito bom de 69,2% dos pontos disputados.

VEJA MAIS:
Avallone minimiza campanha do Corinthians e revolta torcedores 
Torcedores do Corinthians vão à loucura com atuação de Cássio
Rodriguinho fica perto de atingir marca artilheira de 2016 e com bem menos jogos

Apesar do rendimento acima da média, algumas dúvidas pairam sobre o Parque São Jorge. Como o Corinthians se comportará no Brasileirão, competição disputada por pontos corridos. O alvinegro tem elenco suficiente para suportar as 38 rodadas? O clube vai conseguir manter os principais destaques na janela de transferências do meio do ano? 

A diretoria reconhece que o grupo possui algumas carências e se movimenta no mercado para oferecer novas opções ao técnico Fábio Carille. O lateral-direito Cicinho, do Ludogorets, da Bulgária, e o atacante Clayson, da Ponte Preta, têm negociações adiantadas e podem ser anunciados em breve. O primeiro viria para ser reserva de Fagner e brigar por posição com Léo Príncipe, que ainda não convence. O segundo seria opção para os lados do campo. É rápido e disputaria posição com Romero.

O Corinthians ainda carece de um meia para ser alternativa à Rodriguinho e Jadson. Giovanni Augusto, que se recupera de lesão, e Marquinhos Gabriel, ainda não mostraram a que vieram. Trazer um reserva para o centroavante Jô também seria importante.

É fato também que para brigar pelo título no Brasileirão, o Corinthians vai precisar ter postura mais agressiva, propor mais o jogo, principalmente quando é mandante, algo que não ocorreu na maior parte dos quatro primeiros meses da temporada. Vale dizer que nos últimos jogos, o Timão melhorou a produção ofensiva, sobretudo nos jogos como visitante, o último deles contra a Universidad de Chile, quando com autoridade fez 2 a 1 e avançou à segunda fase da Sul-Americana sem muitos sustos.

A defesa mantém consistência – está aí o principal mérito de Carille. Pode ser a aposta para um bom campeonato. Mas ainda é muito cedo para dizer se a equipe vai brigar pelo hepta. Só com as primeiras rodadas vamos ter uma maior noção.

A estreia alvinegra no Brasileirão está marcada para este sábado (13), às 19h (horário de Brasília), contra a Chapecoense, em Itaquera. O favoritismo é todo alvinegro contra um adversário que vem de cinco derrotas nos últimos seis jogos.

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)