Três Lições que o Vasco tirou do jogo contra o Fluminense

Crédito da Foto: Reprodução / Twitter Oficial Vasco da Gama

O Vasco foi atropelado pelo Fluminense na partida válida pela semifinal do Campeonato Carioca. A partida foi disputada no sábado (22) e a equipe tricolor venceu por 3 a 0. Mesmo tendo a vantagem do empate, a equipe do técnico Abel Braga não se intimidou e foi para cima do Vasco desde o início do jogo, pressionando e encurralando a equipe do técnico Milton Mendes.

Os gols saíram no segundo tempo e foram marcados por Richarlison, Wellington Silva e Léo. Com a vitória o Fluminense garantiu a vaga para a final e aguarda o vencedor entre Flamengo e Botafogo, que se enfrentam neste domingo (23). Para o Vasco, resta treinar e se preparar para o Campeonato Brasileiro, já que a equipe não tem mais nenhum torneio para disputar (foi eliminado na terceira fase da Copa do Brasil). Confira três lições que o Vasco tirou do jogo contra o Fluminense:

LEIA MAIS:
Fluminense x Vasco: assista aos gols do clássico carioca
“Pareceu encenação”, diz Milton Mendes sobre lance que ocasionou expulsão de Douglas

Reforços– Este item ficou evidente desde que a pré-temporada começou. É nítido como o time vascaíno é carente de peças em todos os setores. Os jogadores que foram contratados não são unanimidades e até agora não mostraram serviço. Junte isto ao fato de que a maioria dos jogadores que penaram para subir para a série A em 2016 ficaram no clube, logo o grupo é velho e impreciso.

Jogadores veteranos– Essa é uma discussão antiga mas que ainda está bem viva em São Januário. A maioria dos jogadores do plantel vascaíno são veteranos e com carreiras já consolidadas no futebol, nenhum deles almejam algo a mais no futebol e estão pouco se importando com a fase do clube. Jogadores como Rodrigo, Nenê, Wagner, Andrezinho e Luís Fabiano pouco se importam se o time ganha ou perde.

Utilização da base– O Vasco precisa olhar e cuidar para a base, pois esta área é o ativo mais importante de um clube. Os melhores jogadores do time são oriundos da base: Douglas e Guilherme Costa. Enquanto os veteranos pouco se importam, os jovens querem mostrar serviço e são mais próximos do clube. Talvez seja a hora de apostar em jogadores como Bruno Cosendey, Paulo Vitor, Robinho e Hugo Borges.