Salgueiro vence o Santa e decidirá Estadual no Sertão

FOTO: Reprodução Premieri

A vantagem era do Santa, jogava pelo empate, mas foi engolido pelo Salgueiro e conseguiu a vantagem por dois gols que precisava para ir a final. O clube sertanejo não deu chance ao tricolor. Foi melhor do início ao fim. Basicamente buscou o ataque, com os corais retraídos, sem chegar ao ataque. Vinicius Eutropio não ajudou, mexeu errado, quando acionou as suas peças ofensivas com o time perdendo, não deu certo.

Palmeiras x Ponte Preta: Assista aos melhores momentos do jogo

 O resultado coloca o Carcará pela segunda vez na decisão do Campeonato Pernambucano. Em 2015, perdeu o título para o próprio Santa, no Arruda. Rodolfo Potiguar e Jean Carlos marcaram para os sertanejos.

O Salgueiro agora espera o vencedor de Náutico e Sport para saber com quem vai decidir a final do Campeonato Pernambucano. As decisões ainda não estão com data marcada, mas o segundo jogo será no Cornélio de Barros. O Santa Cruz se prepara para a semifinal da Copa do Nordeste. No próximo sábado, começa a decidir uma vaga na final contra o Sport, na Ilha do Retiro.

Precisando de gols, o Salgueiro tomou iniciativa do jogo, detendo mais a posse de bola, o Carcará construía melhor as jogadas, tentando chegar com mais efetividade no ataque. Valdeir em chutes de fora da área levou perigo a meta de Júlio Cesar. O Santa Cruz apostava nas jogadas de contra ataques, com os sertanejos bem postados, ficou difícil para os Corais armarem jogadas que levassem perigo para o gol de Mondragon.

Superior em todos os aspectos, faltou pouco para o Salgueiro pular na frente no placar, Aproveitando a passividade dos Tricolores, o Carcará sufocou, mas a baixa qualidade técnica dos homens de frente do time sertanejo não ajudou os donos da casa.

O Santa Cruz suportou a pressão, mesmo fazendo um primeiro tempo muito baixo do que se espera uma equipe do porte do Santa. Muito disperso, faltou posse de bola e agressividade do time, que não existiu no campo de ataque. Mesmo se precavendo na defesa, os Corais levaram pressão e no fim do primeiro tempo viu o Salgueiro chegar muito perto do gol. Mondragon não trabalhou debaixo das redes.

Na volta para o segundo tempo, Eutropio tirou Pereira e colocou Elicarlos, a mexida porém chamou o Salgueiro ainda mais para o campo de defesa tricolor. Os primeiros 15 minutos foram de pressão total do Carcará, que teve muito espaço para jogar e quase chegou ao gol quando Moreilândia chutou de longe e a bola desviou em Álvaro e quase entrou.

Sem dar um mísero chute no gol, o Santa Cruz seguiu plantando na defesa, sem atacar, sem ter a bola nos pés, sem jogar. Pagou caro pela postura covarde e medíocre, se apequenou diante de um gigante em seu caldeirão e pagou para ver. Aos 21 minutos, após sobra do escanteio, Rodolfo Potiguar chutou no canto direito de Júlio Cesar e abriu o placar. O Carcará continuou em cima. Tanto que aos 25, Jean Carlos aproveitou falta mal cobrada, dominou e ganhou em cima de Léo Costa e fez o segundo para deixar o placar em favor da equipe sertaneja.

Se antes disso os corais jogavam (se é jogavam) sem a bola, depois disso, como de praxe em mata-matas, o Salgueiro foi cavando faltas e gastando tempo, deixando o adversário nervoso. Eutropio esperou o time ficar em desvantagem para acionar Léo Costa e Júlio Sheik, que só foram meros coadjuvantes em campo.

No último lance do jogo, aos 48 do segundo tempo, falta na meia lua da grande área. Praticamente um pênalti para Anderson Salles. O zagueiro cobrou com categoria, mas Mondragon fez uma grande defesa e garantiu a vitória e o Salgueiro na final do Pernambucano.

FICHA DO JOGO:

Salgueiro: Mondragon; Marcos Tamandaré (Jean Carlos), Ranieri, Luiz Eduardo e Daniel Nazaré; Rodolfo Potiguar (Vítor Caicó), Moreilândia, Toty e Valdeir; William Lira e Álvaro
Técnico: Evandro Guimarães.

 

Santa Cruz: Julio Cesar; Vitor, Anderson Salles e Tiago Costa; Gino (Léo Costa), David, Pereira (Elicarlos), Thomás e Everton Santos (Júlio Sheik); Halef Pitbull
Técnico: Vinícius Eutrópio.

 

Estádio: Cornélio de Barros (Salgueiro-PE)
Árbitro: José Woshington da Silva (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral (PE) e Marlon Rafael Gomes de Oliveira( PE)
Cartões amarelos: Thomás, David, Vítor, Bruno Silva e Thiago Costa (STA)
Gols: Rodolfo Potiguar e Jean Carlos
Público: 5.184
Renda: R$ 53.690,00