Presidente do Santos confirma terceirização das franquias “Meninos da Vila”

Santos
(Foto: Reprodução/Flickr Santos FC)

A categoria de base do Santos, que já revelou tantos talentos para o futebol brasileiro, desde Pelé a Neymar, sofrerá algumas mudanças na administração das escolinhas oficiais do clube.

O Peixe não estava satisfeito com o gerenciamento das mais de 50 escolinhas espalhadas pelo Brasil e foi atrás de uma maior profissionalização do setor, que é de grande importância para o time da baixada santista.

LEIA MAIS:
Antecipação de jogo do Peixe na Copa do Brasil agrada Dorival Júnior

Segundo Modesto Roma Júnior, o presidente do Santos, a terceirização é o caminho: “Vamos caminhar para a terceirização das franquias. Na base, foi uma opção do gerente (Ronaldo Lima). Na questão do Peres, foi uma decisão política minha. Não estava havendo bem uma produção. E no Santos B, o profissional optou por sair (para o Santo André) e no retorno, já havia outro capacitado no lugar (Luiz Greco)”, afirmou.

Uma das principais queixas referentes à administração eram reclamações de famílias dos jovens atletas sobre treinamentos e aprovações em peneiras para participar do elenco da categoria.

Outra mudança na coordenação das franquias, foi a demissão de Marco Bechara da coordenação da base, Fernando Seabra da gerência do Santos B e José Carlos Peres da gerência de marketing internacional.