Opinião: Time misto do Botafogo faz frente aos rivais, mas não tem elenco

Botafogo
Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Não! Este ano o “Fogão” precisa se virar com o que tem. Um ou dois reforços de peso se faz necessário, e dá para contratar antes do final do Brasileirão e da Libertadores. Mas formar um elenco este ano é loucura! Seria “inchar” demais a folha de pagamento, antes do necessário saneamento das finanças do clube.

Ganhar do Vasco e do Flamengo com time reserva, já vimos que é possível. O que faltou, nas duas oportunidades, foi o conjunto (que só se adquire com sucessivos jogos oficiais). Mas o futebol carioca não é parâmetro para nada, a começar pelo “abismo” existente entre os quatro grandes do Rio e os demais.

LEIA MAIS:
BOTAFOGO RESCINDE COM PATROCINADOR APÓS FALTA DE PAGAMENTO
BOTAFOGO TEM RETROSPECTO POSITIVO CONTRA TIMES EQUATORIANOS; CONFIRA NÚMEROS

Só tivemos Madureira na semifinal da Taça Guanabara porque o Botafogo abdicou de disputá-la, em função de uma pré-Libertadores dificílima, onde teve que medir forças com um ex-campeão e outro três vezes campeão da competição continental.

Mas, no Estado do Rio de Janeiro, é muita tristeza perambulante. Tirando o Botafogo, os demais clubes nem têm estádio decente para jogar! O Vasco tem uma casa onde só pode haver jogo de uma torcida. O Flamengo está construindo um “poleiro” para onde vai ser quase impossível chegar, além de tumultuar a vida dos habitantes da Ilha do Governador. O Fluminense resolveu utilizar o estádio do falido América que, na primeira ventania, ficou sem cobertura e sem iluminação!

O cenário catastrófico do futebol carioca, como, de resto, tudo no Estado, demonstra que investimentos que o Botafogo vier a fazer, requerem, antes de tudo, um planejamento cuidadoso e um calendário internacional que garantem o necessário retorno financeiro aos cofres do clube.