Opinião: Gilberto recupera boa fase de clubes anteriores e se torna essencial para Ceni

Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

No início da temporada, o atacante Gilberto era certamente um dos jogadores que o torcedor queria mais fora do São Paulo, pelo discreto desempenho de 2016. Ainda mais com a contratação de Lucas Pratto, era certo que o argentino viria para ser titular, enquanto Gibagol esquentaria o banco para ele.

De fato isso ocorre neste atual momento do ano. O técnico Rogério Ceni tem preferência pelo Urso entre os iniciais do Tricolor, mas tem uma sobra muito forte de Gilberto, que melhorou absurdamente seu desempenho. São 11 gols em 15 jogos (média de 0,73 por partida), enquanto no ano passado foram apenas duas bolas nas redes em dez apresentações (média de 0,23 por jogo).

VEJA MAIS
GOLEIRO DO SÃO PAULO RELEMBRA COMEÇO DE CARREIRA DIFÍCIL: “TREINAVA DE DIA E CHORAVA DE NOITE”
MERCADO DA BOLA: SÃO PAULO ACERTA COM DESTAQUE DO SANTO ANDRÉ NO TROFÉU DO INTERIOR

Por isso, em 2017 se tornou uma peça essencial para o M1TO, que passou a ganhar uma opção a mais de qualidade no ataque. Como Pratto se adaptou ao clube rapidamente e vem correspondendo ás expectativas, Gilberto segue esperando a chance de ser titular fixamente no time, mas devido à necessidade de resultados, conseguiu jogar ao lado do argentino contra o Corinthians, por exemplo.

Gibagol enfim justifica sua contratação e recuperou o futebol que apresentava em outros clubes, como Santa Cruz, Portuguesa e Vasco. Quem ganha é somente a torcida do São Paulo, que conta no plantel com dois ótimos atacantes de alto nível. O problema para o equilíbrio do São Paulo segue sendo a defesa, que concede um número alto de gols, por conta do esquema ofensivo de Ceni.



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.