Flávio Prado diz que a Ditadura ajudou o Corinthians no título paulista de 1977

Getty Images

O título paulista de 1977 é um marco na história do Corinthians. Mas, segundo o jornalista Flávio Prado, a fila de mais de 23 anos sem títulos, não seria quebrada sem a ajuda da Ditadura Militar (1964-1985).

“Havia um grande interesse na conquista do Corinthians. Uma eleição meses antes das finais, mostrou descontentamento da população de São Paulo com a Arena, partido da Ditadura. Quércia, a época visto como alguém de oposição forte, derrotou Carvalho Pinto, indicado pela Ditadura. Então era preciso ativar o circo, e o circo era a conquista de um time do povo que não vencia nada a mais de 20 anos”, disse o jornalista em contato com o Torcedores.com

LEIA MAIS:
FLÁVIO PRADO: “TITE FOI MAIS COACHING DO QUE TÉCNICO NA SELEÇÃO”

“Houve enorme influência e pressão em cima dos jogadores da Ponte. Inclusive no dia do último jogo, um militar entrou no vestiário da Ponte já no Morumbi dando um mapa de rota de fuga caso a Ponte vencesse, pois não poderiam “garantir a segurança dos jogadores” caso fossem campeões”, contou.

A eleição a que Flávio se refere, na verdade, aconteceu em 1974 e foi para o Senado pelo Estado de São Paulo. Naquele pleito, Orestes Quércia, candidato do MDB, e oposição ao regime, venceu Carlos Alberto Carvalho Pinto, candidato pela ARENA, partido da Ditadura.

Essa e outras histórias estão em um livro escrito naquele ano pelo jornalista, que não foi nem analisado pela censura do regime.

“[O livro] não chegou a ser censurado. Ele não foi aceito por nenhuma editora. Por mais que eu tentasse, inclusive em Campinas, ninguém teve “coragem” de editar. Até porque o momento no país era muito perigoso. Ele nem conseguiu ser recebido para que a censura o julgasse”, acrescentou Prado.

O jornalista não descarta ainda publicar o livro. Mas, com algumas atualizações.