Everton participa de projeto da Anistia Internacional

Divulgação/Site Oficial "Amnesty International UK"

Em parceria com a Anistia Internacional, o Everton junto com outros clubes ingleses (Leicester, Hull City, Southampton, Brentford, Notts County, entre outros) participaram de um projeto no último final de semana chamado Refugees In Football, o objetivo principal da ação é celebrar a contribuição para o futebol de jogadores refugiados desde a Segunda Guerra Mundial.

LEIA MAIS:
CAMPEONATO ALEMÃO: LÍDERES TROPEÇAM! CONFIRA OS RESULTADOS FINAIS DA 30ª RODADA

A ação também marca os oitenta anos da chegada dos primeiros refugiados que se tornaram jogadores profissionais na Inglaterra, eram crianças quando chegaram à ilha britânica, que vieram de navio fugindo do País Basco após a bombardeio a Guernica durante a Guerra Civil Espanhola em 1937 (fato que ficou famoso através do quadro de Pablo Picasso), Emilio Aldecoa (Wolverhampton Wanderers, Coventry City), José Bilbao (Coventry), Sabin Barinaga (Southampton), Raimundo Peréz Lezama (Southampton), Antonio Gallego (Norwich) e o seu irmão José Gallego (Brentford, Southampton, Colchester United and Cambridge United) foram os pioneiros, muitos deles retornaram à Espanha e jogaram em equipes importantes como Barcelona, Real Madrid e Athletic Bilbao.

Entende-se como um refugiado segundo a ACNUR (Agencia da ONU para Refugiados) “São pessoas que se encontram fora do seu país por causa de fundado temor de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, opinião política ou participação em grupos sociais, e que não possa (ou não queira) voltar para casa. Posteriormente, definições mais amplas passaram a considerar como refugiados as pessoas obrigadas a deixar seu país devido a conflitos armados, violência generalizada e violação massiva dos direitos humanos”.

As ações envolvidas neste programa podem ser desde o fornecimento de entradas para refugiados como também a organização de torneio locais, visitação aos estádios ou a presença de jogadores das equipes envolvidas.

O clube de Liverpool através da sua instituição de caridade denominada Everton in the Community (EitC), já realiza ações de auxilio a pessoas que solicitam asilo político e refugiados desde o fornecimento de informações de pessoas nestas condições auxiliando pessoas que vivem na região assim auxiliando a participar de outros programas semelhantes como também fornecer ingressos para visitar o Goodson Park como também assistir os jogos.

Segundo Michael Salla, Diretor de Esporte e Saúde da instituição “Nosso projeto de refugiados e asilados financiado pelo Conselho Municipal de Liverpool tem funcionado por três anos e ajudou mais de 100 requerentes de asilo a se tornarem mais integrados dentro de nossa comunidade. As sessões semanais de futebol proporcionam uma oportunidade de participar de sessões esportivas de alta qualidade que proporcionam benefícios físicos, mentais e sociais além de proporcionar uma alternativa aos desafios diários”.