“Era Renato Gaúcho”: Grêmio ‘esquece’ posse de bola e passa a ser mais objetivo

Grêmio x Atlético-PR
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A vitória sobre o Guaraní-PAR no meio de semana por 4 a 1 deu mais tranquilidade ao Grêmio para seguir seus trabalhos e preparativos para a continuação da Libertadores e começo do Brasileirão. Entretanto, a partida contra os paraguaios mostrou a nova ‘cara’ do Tricolor que há algum tempo busca esse novo estilo de jogo.

Com menos posse de bola e mais objetividade, o Grêmio vai ganhando cada vez mais as características de Renato Gaúcho. Diferente de 2016, quando o técnico, de forma inteligente, manteve o estilo de jogo imposto por Roger Machado, seu antecessor, o ex-atacante do Tricolor começa a mostrar como a equipe deve atuar sobre seu comando.

LEIA MAIS: Com outras propostas, Barrios explica porque escolheu jogar no RS

Contra o Guaraní, para se ter uma ideia, o Grêmio mesmo com um a mais e vantagem no placar, teve posse de bola quase que igual ao time visitante. A goleada foi construída a partir de erros do fraco sistema defensivo dos paraguaios, mas com méritos ao sistema de jogo imposto pelo treinador.

Posse de bola

Com 53% de posse no segundo tempo, o Grêmio dá a bola ao adversário e ‘gosta’ de surpreender em um contra-ataque ou em uma jogada que o sistema defensivo adversário está desarrumado. Com Roger, a prioridade era o passe, envolvendo o outro time e chegando em jogadas bem trabalhadas.

São dois estilos de jogo diferentes, mas algo fica claro: a ‘Era Renato Gaúcho’ está em curso. Não que o título da Copa do Brasil não seja mérito do ídolo gremista também, mas a partir de agora podemos ver o trabalho do técnico aparecer de forma clara e também esperarmos para ver se dará certo ou não.