Torcedores.com Vozes da Marca

Creatina faz mal aos rins? Saiba o que é verdade e o que é boato

Creatina faz mal aos rins

Há evidências científicas de que a creatina faz mal aos rins? Enquanto vários estudos comprovaram que a suplementação aumenta em até 20% as concentrações de creatina muscular, favorecendo o rendimento esportivo, também surgiram inúmeros indícios acerca dos eventos adversos associados à ingestão da substância.

Os principais indícios de efeitos nocivos estão relacionados aos prejuízos à função renal. Mas afinal, o que há de concreto e comprovado a respeito das alegações de que a creatina faz mal aos rins?

LEIA MAIS:  OS EFEITOS DA GLUTAMINA NA PERFORMANCE DE JOGADORES DE FUTEBOL

A creatina é um aminoácido que pode ser encontrado naturalmente na carne vermelha e no peixe, além de também ser produzido pelo corpo humano, no fígado, rins e pâncreas. Ela então é convertida em creatina fosfato, ou fosfocreatina, e armazenada nos músculos, onde é utilizada para gerar energia.

Durante exercícios de alta intensidade e curta duração (como levantar pesos ou “sprinting”), a fosfocreatina é convertida em ATP, uma importante fonte de energia dentro do corpo humano.

Estudos sobre o efeito da creatina na função renal

Nem todos os estudos humanos mostram que a creatina melhora o desempenho atlético. A resposta depende de cada indivíduo. Cientistas investigam cada vez mais os efeitos adversos da suplementação com creatina a curto e longo prazo.

Até o momento, evidências sugerem que a creatina faz mal aos rins somente em pessoas com histórico de doença renal ou em uso de medicamentos nefrotóxicos, mostrando um risco aumentado de disfunção renal.

De acordo com a literatura existente, a suplementação parece segura quando usada por adultos saudáveis. Em relação à como tomar creatina, a ingestão recomendada é de 20 g/dia (durante cinco dias) e doses de manutenção (aproximadamente 3 g / dia).

Testes laboratoriais de creatinina sérica e depuração da creatinina podem ser utilizados para monitorar a ocorrência de disfunção renal. Esses são alguns dos exames indicados periodicamente por especialistas clínicos para monitorar os efeitos da creatina no organismo.

Ao longo dos últimos anos, a creatina surgiu como um suplemento eficaz e seguro, que beneficia os atletas que buscam aumentar a força, musculatura e desempenho. Por hora, o que há de concreto evidencia essa segurança, isso quando ingerida de forma adequada. Os indícios de que a creatina faz mal aos rins são confirmados quando associados a pessoas que já apresentam problemas renais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COOPER, Robert et al. Creatine supplementation with specific view to exercise/sports performance: an update. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 9, n. 1, p. 33, 2012. (Artigo)

LUGARESI, Rebeca et al. Does long-term creatine supplementation impair kidney function in resistance-trained individuals consuming a high-protein diet?. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 10, n. 1, p. 26, 2013.(Artigo)

POORTMANS, Jacques R.; FRANCAUX, Marc. Adverse effects of creatine supplementation. Sports Medicine, v. 30, n. 3, p. 155-170, 2000. (Artigo)
Pic-Me é a marca da expressão, uma alegria na rotina que convida as pessoas a se expressarem. Queremos um diálogo direto e de igual para igual com todos, sem julgamentos ou estereótipos. Por isso endossamos e incentivamos o conteúdo criado coletivamente, de pessoas para pessoas. Aproveitem!


Especializada em testes laboratoriais de vitaminas e suplementos alimentares, a Labdoor é uma empresa independente com sede nos EUA, onde são avaliadas e divulgadas informações sobre toda a suplementação testada. O resultado das análises laboratoriais formam rankings de suplementos que ajudam os consumidores na hora de escolher o melhor suplemento para seus objetivos.