Coritiba atropela o Atlético e vence a primeira final do estadual

Reprodução/Créditos: Twitter Oficial do Coritiba
Reprodução/Créditos: Twitter Oficial do Coritiba

Na tarde de hoje (30), o Coritiba venceu o Atlético Paranaense, no primeiro jogo da final do campeonato Estadual. A equipe alviverde teve um meio-campo em sintonia, vencendo por três a zero.

No início, a torcida atleticana apresentou um mosaico, com o escudo rubro-negro. Depois, foi a vez da torcida coxa-branca, com suas bexigas verde e branco. Proporcionando magia ao Atletiba.
Aos 3 minutos, após cruzamento de Felipe Gedoz, João Pedro chuta no travessão. Logo, Werley aos 15 minutos faz o primeiro para o Coritiba de cabeça, em jogada aérea, após cruzamento na área atleticana. Deixou o time rubro-negro perdido em campo. Grafite, ainda teve uma oportunidade de diminuir, mas chutou em cima goleiro alviverde. Aos 28 minutos do primeiro tempo, em lançamento do Goleiro Wilson, Iago fez um gol de cobertura, sobre o Goleiro Weverton. Aos 40 da primeira etapa, o Coritiba teve um gol anulado. João Pedro, levou uma cotovelada no rosto, de Alan Santos, caiu desacordado, foi levado para o Hospital Marcelino Champagnat, mesmo depois do susto, passa bem e já recebeu alta por volta das 18:30, segundo informações da rádio Transamérica, por Dorival Crispim.

Em lance isolado, o Bandeirinha esbarrou em Felipe Gedoz, e Felipe simulou uma agressão.

Após erro defensivo de Paulo André. Kléber, aos 8 min. do segundo tempo, faz 3 x 0 para o Coritiba, deixando ainda mais difícil para a equipe rubro-negra. Henrique Almeida foi o garçom para Kléber, ele entrou na área e bateu firme contra o goleiro atleticano, fez seu primeiro gol em Atletiba. Quando o relógio marcou 11 minutos, Grafite teve uma oportunidade, após cruzamento na área, mas cabeceou por cima da meta coxa-branca. 4 minutos depois, em lance de escanteio, o zagueiro atleticano Wanderson, deu um toque de cabeça no travessão de Wilson, levando perigo.

Para piorar, Felipe Gedoz foi expulso aos 23 minutos, “em cotovelada que teria atingido Kléber”. Com a superioridade número, time alviverde, soube ter posse de bola. O Coritiba ainda teve uma chance com Tiago Real, mas Weverton estava lá para evitar o gol. A última chance do Atlético foi aos 39 da segunda etapa, Eduardo da Silva tocou para Douglas Coutinho e dentro da área, desperdiçou a oportunidade de diminuir o placar. Ao final, a torcida do Coritiba gritava “Olé”, mostrando a superioridade do time coxa-branca.

O time rubro-negro não perdia um jogo na Arena da Baixada desde agosto de 2016 (Atlético 0 x 1 Palmeiras). Após o jogo o técnico Autuori, afirmou “o time jogou com a cabeça na Libertadores”.
Para Pachequinho, “temos trabalhar mais forte ainda nesta semana, não tem nada decidido”.

Para ainda ter chances de título o rubro-negro terá que vencer por no mínimo três gols de diferença, no Couto Pereira, se acontecer este resultado, de acordo com o regulamento do campeonato paranaense a decisão irá para os pênaltis. Para não depender da disputa de pênaltis o Atlético deverá ganhar por quatro gols de diferença.

Opinião

A equipe do Alto da Glória, jogou muito bem. Boa atuação do meio de campo, de Anderson, Galdezani e Alan Santos, e dos atacantes Yago Dias, e Kleber voltando pra ajudar na criação de jogadas. O Coritiba sobrou na partida de hoje. O Coritiba está com as mãos na taça, muito provável que seja o campeão no próximo domingo. O Anderson não é mais aquele que jogou no Inter, no ano passado, foi um verdadeiro maestro. O Coritiba conquistou boa vantagem para o segundo jogo, no próximo domingo, no Couto Pereira.

Grafite, jogou mal pelo Atlético e foi vaiado pela torcida. Ele não tem jogado o futebol que desempenhou no Santa Cruz, no ano passado. Parece estar a jogar, com o “freio de mão puxado”. O Atlético sentiu falta de jogadores como Lucho, Otávio, Pablo e Jhonatan. Ou deveria ter utilizado o time alternativo, já que esta base que tem atuado no estadual.
O goleiro Weverton, saiu erroneamente no segundo gol do Coritiba e Paulo André falhou no terceiro gol coxa-branca.



Estudante de Jornalismo, Uninter, Curitiba