Análise: Por que Luan, melhor do Grêmio em 2016, vive má fase?

Luan
Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Após um ano de destaque liderando o Grêmio para o título da Copa do Brasil e sendo titular no ouro olímpico do Brasil, Luan começou 2017 em baixa e chegando a ser vaiado pela torcida tricolor. Apesar de exagerada, a reclamação do torcedor mostra que a jovem promessa passa por um momento difícil.

Atualmente se movimentando menos que o normal, o atacante precisará se superar nas próximas semanas já que Miller Bolaños se lesionou e o substituto, Lucas Barrios no ataque, vai exigir que Luan tenha mais mobilidade e participe mais, como fazia em 2016.

LEIA MAIS: Com Bolaños, Grêmio chega ao 15º jogador lesionado em 2017

O equatoriano seja talvez um dos motivos para Luan ter tido uma queda no seu futebol, mesmo que indiretamente. O aparecimento de outro jogador de características parecidas as da joia gremista talvez tenha o acuado. Alguns defendem que o garoto está diferente desde a época que voltou da seleção, mas a fase final da Copa do Brasil prova o contrário.

Outro fator que possa explicar a má fase é o “novo” sistema de jogo do Grêmio. Se antes o time preferia o toque de bola envolvente sobre o adversário, hoje em dia a equipe gosta de “entregar” a bola para o outro time e esperar uma falha, sendo mais objetivo quando chega ao ataque, algo que não favorece tanto o futebol de Luan.

O Grêmio volta a campo na quarta-feira (3), às 19h30 (de Brasília), diante do Deportes Iquique, no Chile. Se vencer ou empatar, o time de Renato Gaúcho garante vaga antecipada para a próxima fase da Libertadores.