90 anos depois, times que exigiram que Vasco construísse São Januário não têm onde jogar

Vasco
Foto: Paulo Fernandes/ Vasco.com.br

O Vasco da Gama comemora 90 anos nesta sexta-feira, dia 21 de abril, e mais do que uma data especial, o dia é de muito orgulho para a torcida vascaína que conhece a importância de sua casa não só para a história do clube, mas também do futebol brasileiro.

Construído em pouco menos de um ano, São Januário é um dos poucos estádios da atualidade que foram erguidos com recursos particulares. Considerado um modelo de sucesso e um monumento histórico em termos de arquitetura, a Colina histórica foi uma exigência de rivais do Cruzmaltino.

LEIA MAIS:
VASCO FAZ HOMENAGEM A SÃO JANUÁRIO E PROVOCA RIVAIS: “EU TENHO”
NOVA CAMISA DO VASCO TERÁ HOMENAGEM A SÃO JANUÁRIO

A Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), entidade fundada por Botafogo, Flamengo, Fluminense, América e Bangu era a liga carioca reconhecida pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD) em 1925 quando o Vasco foi aceito para disputar a competição desde que o time de origem portuguesa tivesse um estádio digno da competição.

Antes mandando seus jogos da Rua Morais e Silva, o Cruzmaltino fez um acordo com o Andaraí e passou a atuar na Rua São Francisco Filho (onde hoje fica o Shopping Iguatemi), enquanto não tinha sua casa própria. Em 1927, São Januário foi inaugurado e, 90 anos depois, alguns daqueles que exigiram um estádio do Vasco encontram-se sem o que se pode chamar de casa própria.

Crédito da Foto: Paulo Fernandes/ Vasco.com.br