Por que o Messi não bateu o pênalti decisivo para o Barcelona contra o PSG?

Foto: David Ramos/Getty Images

A virada histórica e improvável do Barcelona sobre o PSG nas oitavas de final da Champions League dificilmente será esquecida tão cedo, independente das polêmicas envolvendo a arbitragem do jogo. E o brasileiro Neymar foi o grande personagem da noite mágica vivida e protagonizada pelos jogadores do clube culé diante dos mais de 90 mil torcedores presentes no Camp Nou. O camisa 11 participou de quatro dos seis gols marcados na vitória por 6 a 1, mas um lance chamou atenção: o 5º gol.

O 5º gol do Barcelona saiu após o arbitro assinalar uma penalidade polêmica em cima do atacante Luis Suárez. Naquele momento, faltavam dois gols para a equipe conquistar a classificação, e o relógio marcava 46 minutos do segundo tempo – o jogo iria até os 50. Era difícil, mas os jogadores do time catalão sabiam que dava. Mas parece que menos o Messi, capitão e um dos maiores ídolos do clube.

Messi, que é o cobrador oficial de pênaltis e já havia marcado um gol de penalidade no início do 2º tempo, deixou a cobrança para Neymar. Por que? Nenhum dos dois jogadores comentaram o lance após a partida, mas nós paramos para analisar o cenário naquele momento.

DESACREDITADO:

O argentino já tinha deixado a cobrança de falta, no lance anterior, para Neymar bater. Quem acompanha os jogos do Barça sabe que o cobrador oficial é o Messi, e que mesmo com o brasileiro em boa fase e com o pé calibrado, dificilmente ele abre mão da joga de bola parada. Mas faltando alguns minutos para o fim da partida e precisando de três gols, o camisa 10 do clube culé não fez questão nenhuma de ir para a cobrança, provavelmente porque não acreditava mais no “milagre”.  O brasileiro assumiu a responsabilidade e mandou a bola no fundo das redes.

FUGIU DA RESPONSABILIDADE?:

Mais experiente que Neymar, Messi também já tem em seu currículo bem mais cobranças de pênaltis que o brasileiro, porém, talvez, tenha pesado o retrospecto recente em uma situação decisiva. No ano passado, o argentino perdeu o pênalti na final da Copa América Centenário, contra a seleção do Chile, que acabou conquistando o título. Já Neymar, garantiu a primeira e tão sonhada medalha de ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio-2016 após acertar a última cobrança de pênalti na final contra a Alemanha.

Será que ele não quis ficar marcado como “vilão” de novo?

Vale lembrar que se tivesse feito o gol, poderia ter igualado Cristiano Ronaldo com 95 gols marcados na história da Champions League. Seria mais um feito história pra conta e para apimentar ainda mais essa rivalidade com o português.

COROAR A ATUAÇÃO DO NEYMAR:

Foto: Dan Istitene/Getty Images
Foto: Dan Istitene/Getty Images

No fundo, talvez, Messi só queria coroar a belíssima atuação de Neymar – acreditando ao não na classificação do Barcelona. Em outras oportunidades, o argentino já havia deixado o companheiro cobrar um pênalti para com a intenção de ajudá-lo a encerrar um jejum de gols. Isso aconteceu no início do ano, quando o brasileiro acumulava 11 jogos sem balançar as redes, e contra o Athletic Bilbao, pela Copa do Rei, já com o placar garantido, deixou Neymar fazer o gol.