Palmeiras tira quatro lições do empate na Argentina

Palmeiras
Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Empate, fora de casa, Libertadores, um jogador a menos e contra time argentino. O cenário foi totalmente contra o Palmeiras, que estreava fora de casa em uma Libertadores da América. Mas o time conseguiu buscar um empate contra o Atlético Tucuman.

E da partida, o Verdão pôde tirar algumas lições. Confira:

LEIA MAIS: “Ninguém vai ganhar da gente na força”, diz Felipe Melo

1 – Antônio Carlos pode ser um excelente reserva e futuramente titular

O jogador fez sua estreia em partidas oficiais pelo Palmeiras. Sua única partida até então havia sido diante a Chapecoense. Mesmo assim, entrou bem na partida, com boas interceptações e bom posicionamento. Não comprometeu e parecia até mais tranquilo que alguns jogadores como o próprio Vitor Hugo, que foi expulso.

2 – Thiago Santos importante para jogos fora de casa

O volante é regular nos jogos, mas costuma perder a vaga para Felipe Melo no meio de campo. Em casa, dificilmente vai jogar pela vocação ofensiva que o time tem e pela pressão da torcida, que exige o time atacando no Allianz Parque. Mas fora de casa tem muita utilidade, principalmente na Libertadores, quando o time adversário vai atacar mais e apenas um volante pode ser pouco para proteger a defesa. Fez uma boa partida o camisa 21.

3 – Keno pode fazer várias funções

Autor do único gol palmeirense na partida, o atacante Keno se mostrou polivalente. O jogador caiu pela direita, pela esquerda, ajudou na marcação, acompanhou o lateral adversário…teve uma ótima partida. Juntando a sua técnica com a velocidade e a determinação em campo, vai aumentando cada vez mais seu espaço no time titular. Não à toa, sentiu câimbras no final e teve de ser substituído.

4- Se não estiver 100% motivado, Roger Guedes não é boa opção

É indiscutível o talento de Roger Guedes. Jogador forte, rápido e muito ofensivo. Mas é necessário o algo a mais vindo de dentro do próprio jogador para se conquistar a Libertadores. Ele entrou no final do jogo e foi chamado por Eduardo Baptista em alguns momentos como se estivesse cansado. Em jogos na Libertadores, principalmente fora de casa, é necessária total disposição, coisa que o camisa 23 não pareceu demonstrar ontem.



Jornalista formado pela FIAM FAAM. Apaixonado por futebol independente do país ou divisão. Setorista do Inter e esportes olímpicos. Contato: mohamed.nassif12@hotmail.com