OPINIÃO: O que o Santos ‘bebeu’ no intervalo?

Foto: Facebook/ Conmebol Libertadores

Nesta quinta-feira(9), o Santos empatou com o Sporting Cristal, por 1 a 1. O jogo realizado no Estádio Nacional, em Lima  mostrou duas caras da equipe santista, uma na primeira etapa e na etapa complementar.

APROVA OU REPROVA? AVALIE AS ATUAÇÕES DOS JOGADORES DO SANTOS CONTRA O SPORTING CRISTAL!
VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO SANTOS NA LIBERTADORES 2017
O Santos começou o jogo com sono, os jogadores sem noção de espaço, pecaram na maioria dos passes e deram espaço ao Sporting Cristal. Tanto que o primeiro gol saiu logo no início. Pelo que vi, uma falta boba de Renato. Após mais um erro de arbitragem, Calazo abriu o placar. Mesmo com a desvantagem no placar o Santos continuou a pecar. Com o preciosismo de Cléber em bolas ‘fáceis’ que ele as tornou bem complicadas. Além da “Avenida” Victor Ferraz pela direita, onde o Sporting Cristal fez as maiorias das jogadas tanto no primeiro quanto no segundo tempo. O lateral precisa jogar mais se quiser continuar como titular, pois Matheus Ribeiro que chegou do Atlético-GO tem totais possibilidades de ser titular e como as últimas apresentações de Ferraz não vem sendo as melhores, visto por especialistas e a torcida.

Outro ponto negativo foi Vitor Bueno e Copete. Os pontas do Santos no primeiro tempo, pouco fizeram e não executaram aquilo que se esperava deles, tanto que foram substituídos no segundo tempo.

O Santos foi para o intervalo com a desvantagem no placar, Renato em entrevista ao canal Fox Sports focou que o time tinha que ter paciência e tocar melhor a bola. Dorival Júnior, no meu ponto de vista deve ter dado algo aos jogadores para  a segunda etapa. O time voltou com vontade e com raça.

A partir dos 12 minutos do segundo tempo, o Sporting Cristal teve Lobáton substituído por cansaço. Foi a hora da virada do Santos na partida, o Peixe se aproveitou muito bem disso. Vitor Bueno que não rendeu foi substituído por Vladimir Hernández, que havia feito apenas uma partida no ano, o baixinho de 1,67 deu agilidade a parte direita do Alvinegro.

Thiago Maia que estava escondido no jogo, surgiu na área adversária e Lucas Lima observou muito bem o companheiro, que pegou em cheio e fuzilou para fazer o seu terceiro gol com a camisa do Peixe. Logo após o gol, o Santos continuou a pressionar. Copete deu lugar a Bruno Henrique que empolgou em dois lances. No fim do jogo, o Santos novamente tomou pressão do time peruano porque não soube segurar a bola na frente por ser esbaforido. Vladimir teve que trabalhar em desvio infantil de David Braz, e depois se esticou todo para defender uma falta. O goleiro que é muito criticado mostrou sua capacidade e merece estar na titularidade diante dos últimos jogos prestados. Vladimir voltou a brilhar na última chance que o Sporting teve, com uma bela defesa, a qual foi aclamado nas redes sociais como “Deus”.

O Santos volta a campo, domingo diante do São Bernardo às 18:30. O Peixe tem que se reafirmar no Paulista para se concentrar melhor na Libertadores e Dorival Júnior desbancar alguns jogadores que estão se sentindo acomodados dentro de campo com a titularidade, caso de Victor Ferraz.



Jornalista em formação pela FAPCOM. Setorista da Chapecoense no Torcedores.com. Fã de automobilismo