OPINIÃO: Quanto vale a coragem de Jacaré no UFC

Crédito: Reprodução Facebook Ronaldo "Jacare" Souza

O UFC anunciou recentemente que Ronaldo Jacaré enfrentará Robert Whittaker no dia 15 de abril, em Kansas City (EUA).

Ronaldo Jacaré entrará no octógono após ver seu antigo desejo de disputar o cinturão dos médios ser adiado mais uma vez com o duelo Bisping x St-Pierre, ainda sem data marcada.

Jacaré afirmou no mês passado, após bater Tim Boetsch, que prefere continuar no octógono a esperar sentado por uma chance pelo título. A decisão dele tem dois lados.

LEIA MAIS:
RONALDO JACARÉ TEM LUTA MARCADA CONTRA AUSTRALIANO NO UFC

Primeiro, Jacaré mostra que pode dominar a categoria antes de disputar o cinturão, como aconteceu nos seus últimos duelos. Enquanto aguardava a oportunidade pelo título, o lutador aceitou as lutas que lhe foram propostas, saiu vitorioso e justificou seu nome entre os melhores dos médios.

Por outro lado, o grande problema é que, com essa coragem, o brasileiro estará arriscando mais uma vez a chance de disputar o cinturão. Não há dúvidas que Jacaré é um dos principais candidatos ao título, mas essa vontade de querer se manter ativo pode acabar custando caro.

Para seu próximo confronto, o lutador deve apostar no jogo de chão. O brasileiro venceu sete das últimas oito lutas que fez no UFC, com quatro vitórias por finalização, duas por nocaute e uma na decisão dos juízes.

Já Whittaker surge como uma das novas sensações do Ultimate. O australiano de 26 anos é o sexto colocado no ranking dos médios (Jacaré ocupa o 3º posto) e tem seis vitórias seguidas: três nocautes e três triunfos por decisão.

Olhando para as estatísticas, está claro que Jacaré terá que colocar o rival para baixo e trabalhar seu jiu-jitsu, mas sem deixar de tomar cuidado com a trocação de Whittaker.

Veremos no dia 15 de abril se o brasileiro mantém seu nome entre os melhores da categoria ou, caso contrário, o atleta de 37 anos pode dar adeus ao sonho de ser campeão do UFC.