“Não me estranha a crise no futebol argentino”, dispara Carlos Bianchi

Carlos Bianchi
Foto: Divulgação

Durante entrevista ao site Tyc Sports, Carlos Bianchi falou sobre a crise que passa no futebol argentino e a greve dos atletas, que paralisaram o Campeonato. O ex-técnico do Boca Juniors e Vélez não se espanta com a situação que está passando e a crise com a AFA.

“Não estou muito a par sobre o tema, mas pelo que me contam e como vem as coisas, não me estranha a crise que está passando no futebol argentino. Já tenho 68 anos e nada me surpreende”, diz.

LEIA MAIS:
MERCADO DA BOLA: MARLOS MORENO E OSCAR ROMERO ENTRAM NA MIRA DO AMÉRICA-MEX
CONFIRA QUAIS FORAM OS CLUBES QUE CEDERAM DINHEIRO PARA A VOLTA DO ARGENTINO
BARRIOS FALA DO SEU CARINHO PELO COLO COLO: ‘SEMPRE ESTAREI DISPOSTO A VOLTAR’

Bianchi também relembrou a greve que passou em 1971, mas revelou que na época a AFA queria uma cláusula de 20% de aumento anual e 15% da venda de um atleta em uma transferência para outro clube. Para Carlos, a situação daquele ano é idêntica com desta temporada.

“Foi a greve de 1971, na época a clausula de 20% de aumento anual e 15% para o jogador em uma transferência”, completou Carlos Bianchi.

Na entrevista, Carlos Bianchi abordou sobre o conflito das equipes argentinas com a AFA e recordou da greve que conviveu em 1971. Por outro lado, o ex-treinador de Boca Júniors e Vélez elogiou o trabalho de Martín Palermo e Guillermo Schelottoo como técnicos.



Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com