Kleber Gladiador recorda passado corintiano, mas diz: “Hoje sou mais Palmeiras”

Palmeiras
Divulgação/Palmeiras

Com uma carreira vitoriosa e cercada por polêmicas, Kleber Gladiador, hoje com a experiência dos 33 anos, olha para trás e até se diverte com as inúmeras histórias conturbadas de sua trajetória como jogador de futebol. Bem-humorado, ele concedeu entrevista ao canal Desimpedidos e não ficou em cima do muro ao admitir a infância como torcedor do Corinthians e o carinho que sente pelo Palmeiras.

“Eu fui criado no meio da família da minha mãe, que é toda palmeirense. A do meu pai tinha santistas, corintianos, são-paulino… O meu pai, sei lá, acho que ele sabia que os filhos não virariam torcedores do Palmeiras, e ele levava todos para os jogos do Corinthians, comprava camisa, parecia que era meio obrigado. Pô, bora virar corintiano então, ninguém quer apanhar em casa”, explica Kleber, filho de pai corintiano.

LEIA MAIS:

Por Libertadores, Palmeiras buscará repetir feito recente do maior rival

Libertadores começou! Cachorro invade campo e paralisa estreia do Grêmio

Repórter relata medida curiosa que tomará para cobrir estreia do Palmeiras

Nascido em Osasco, Kleber foi ainda criança treinar nas categorias de base do São Paulo, seu primeiro clube como profissional. Quando podia, ele admite que ia ao estádio assistir os jogos do Corinthians, onde até se filiou à torcida Gaviões da Fiel. Em 2004, foi para o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e só voltou para o Brasil em 2008 para jogar no Palmeiras, seu “novo” clube do coração.

“Corinthians hoje para mim já não é mais aquilo que era, entendeu. Ainda significa porque na minha infância eu vivia aquilo. Já fui em jogo na torcida organizada, assistia à partidas no Morumbi, mas hoje posso dizer que tenho muito mais carinho pelo Palmeiras”, conta Gladiador.

No alviverde, Kleber caiu nas graças da torcida pela forma aguerrida de atuar em campo. Foi um dos destaques do título paulista de 2008, até hoje o último estadual conquistado pelo Verdão. A identificação com o Palmeiras ficou tão grande que, certa vez em 2009, o atacante foi visto jogando uma pelada com a torcida Mancha Verde, o que gerou um grande desconforto com o Cruzeiro, seu clube na época.

Gladiador voltou ao Palmeiras em 2010 e ficou até o ano seguinte, quando um desentendimento com o então técnico Luiz Felipe Scolari abreviou sua história no clube. Em 2012, foi para o Grêmio e alternou bons e maus momentos. Em 2014, teve uma breve passagem pelo Vasco da Gama e desde 2015 é jogador do Coritiba.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.