Jogadora transexual vai disputar campeonato de vôlei no Paraná

Vôlei

Uma cabeleireira de 25 vai disputar um torneio de vôlei. Mas o que chama a atenção na história de Isabelle Neris é que será uma jogadora transexual a atuar em uma competição oficial de vôlei.

Ela tem identificação de mulher, mas nasceu como homem e será a primeira transexual a atuar em um jogo oficial entre times brasileiros.

LEIA MAIS: Cruzeiro bate o Canoas na Superliga 

A garota recebeu um aval da Federação Paranaense de Vôlei, a FPV e poderá disputar os torneios do Estado do Paraná. Jandrey Vicentin, superintendente da FVP revelou à Folha que não há problema em uma transexual disputar um torneio feminino:

“A trans pode, sim, favorecer resultados em equipes femininas, considerando a questão física. Ao mesmo tempo, nossa dificuldade foi encontrar estudos em esportes que, como o vôlei, a altura seja fator decisivo. A maior parte é sobre o atletismo, em que a força é mais relevante. Decidimos que se a Justiça já reconhece a Isabelle como mulher, com documentos oficiais de mulher e tudo, como poderíamos não aceitar?”

Serão aceitas transexuais até um estudo for apresentado que comprove a vantagem de uma transexual em disputar uma partida feminina.

Isabelle afirmou nervosismo até saber da resposta se poderia ou não jogar. Aliviada, ela se vê como exemplo para outras transexuais que também desejam praticar esportes:

“Estou bem feliz, porque, de alguma forma, sirvo de exemplo, para incentivar outras mulheres trans a participar do esporte e ocupar outros espaços”, disse também à Folha.



Jornalista formado pela FIAM FAAM. Apaixonado por futebol independente do país ou divisão. Setorista do Palmeiras, Inter e esportes olímpicos, com preferência para o vôlei. Contato: mohamed.nassif12@hotmail.com