Eduardo Baptista x Cuca: veja o comparativo dos treinadores no Palmeiras

Cesar Greco/Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras estreou na Libertadores da América e saiu com o empate contra o Atlético Tucumán. O resultado não foi ruim, se analisarmos que o Verdão jogou com um a menos desde os 21 minutos do primeiro tempo. Contudo, muitos não gostaram do placar e além das críticas, sobrou indignações novamente em relação ao técnico Eduardo Baptista, que vira e mexe é contestado por parte da torcida. Sempre em xeque, o treinador por várias vezes teve seu trabalho comparado com de Cuca.

Em um levantamento realizado pelo Footstats, as estatísticas mostram que o técnico Eduardo Baptista tem um perfil de organizar a equipe para trabalhar a bola, tanto é que, os números apontam que no Campeonato Paulista desta temporada, o Palmeiras troca em média 386 passes, contra 362 do Verdão de Cuca no Brasileirão de 2016. Isso quer dizer, que sob a tutela de Baptista, esse fundamento teve alta de 6,5%.

LEIA MAIS:
ESTREIA DO PALMEIRAS NÃO EMPOLGA AUDIÊNCIA DA GLOBO
FELIPE MELO: NA FORÇA NINGUÉM VAI GANHAR DA GENTE

Já quando analisamos a posse de bola, novamente temos vantagem para Eduardo Baptista, já que atualmente o Palmeiras tem em média 14’38” de posse de bola, contra 13’25” da equipe que era comandada por Cuca em 2016, ou seja, com o atual treinador, o Verdão teve um aumento de 9% em relação a posse de bola.

Em relação aos cruzamentos, durante o Brasileirão de 2016, o Palmeiras contabilizou em média 19,6 deste fundamento. Já no Paulista de 2017, o número subiu em torno de 18%, já que até o momento o Verdão soma 23,1 cruzamentos em média. A equipe deste ano também está na frente quando a análise recai sobre as viradas de jogo, que da temporada de 2016 subiu de 2,6 para 5, chegando a um aumento de 92%.

Por outro lado, as finalizações do time de Cuca eram mais constantes, já que segundo o Footstats, o time conseguia em média 13,6 por partida, contra 13 dos comandados por Eduardo Baptista. Desta forma, conclui-se que há um queda de 5% em relação às finalizações.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.