Dirigente exalta novo formato do Brasileirão Feminino: “melhor coisa dos últimos 50 anos”

Brasileirão Feminino Corinthians x Audax Corinthians x Kindermann
Foto: VALTER PONTES/ALLSPORTS

Com um novo formato para esta temporada, o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino de 2017 vem a chamando a atenção do público e ‘empolgando’ quem trabalha diretamente com a modalidade. Mário Augusto, supervisor geral da equipe do São Francisco, em entrevista ao site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), exaltou as mudanças feitas no torneio.

Neste ano, o Brasileirão Feminino conta com a presença de 16 equipes, que foram divididas em dois grupos de oito integrantes cada. Os primeiros jogos da competição foram disputados no último final de semana e o grande campeão será conhecido no dia 19 de julho.

LEIA MAIS:

CONFIRA A TABELA COMPLETA DO CAMPEONATO BRASILEIRO FEMININO 2017

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO GRUPO 1 DO CAMPEONATO BRASILEIRO FEMININO 2017

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO GRUPO 2 DO CAMPEONATO BRASILEIRO FEMININO 2017

“Estamos na expectativa para este novo formato do Campeonato Brasileiro Feminino. Foi a melhor coisa que aconteceu nos últimos 50 anos, falando em futebol feminino no Brasil. Foi um grande passo que a CBF deu para o crescimento da modalidade no país”, destacou o dirigente do clube baiano.

Antes encarregado de ser treinador e coordenador do São Francisco, sendo o único profissional na comissão técnica da equipe, Mário agora desempenha apenas uma função, o que foi possibilitado por conta de uma mudança na estrutura do clube, que em 2017 conta com o apoio da prefeitura e pode contratar um treinador, um auxiliar técnico, um fisiologista e um preparador físico.

No Brasileirão Feminino, o São Francisco estreou em casa e acabou derrotado pelo Corinthians, pelo placar de 4×0. Apesar do revés, o supervisor tirou boas impressões do rendimento apresentado pelo time baiano.

A equipe jogou muito bem no primeiro tempo. O Corinthians individualmente é uma bela equipe, sabemos do potencial deles. Acredito que o nosso time ainda pode melhorar e fazer uma boa campanha.”



Estudante do 8º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.