Diretor do Flamengo diz que o clube só voltará ao Maraca se o custo baixar

Reprodução/Twitter

O Flamengo fez a sua estreia na Libertadores da América 2017, no estádio do Maracanã. O clube conseguiu fazer uma grande partida contra o San Lorenzo e ter uma grande renda bruta, porém o Rubro-Negro só pretende voltar ao estádio se gastar menos com o aluguel.

“A gente tem que olhar o aspecto esportivo, mas também tem que olhar o financeiro. Vai depender muito da expectativa de receita. Não é todo dia que a gente tem uma receita de R$ 3 milhões. O jogo que deu mais que isso foi a final da Copa do Brasil, que deu quase R$ 10 milhões. Acredito, sim, que a gente possa repetir essas receitas em outros jogos da Libertadores, mas temos que analisar com calma e cuidado. Tem que ver como vai ser o interesse da concessionária em permitir outros jogos lá. Ela tem que se manifestar em relação a isso também. Dessa vez, foi um custo atípico. A gente espera, agora, que o custo abaixe. Aí a gente quer sim, com certeza, fazer jogos lá”, disse Fred Luz, diretor geral do Flamengo ao Globoesporte.com.

LEIA MAIS:
BRASILEIRÃO FEMININO 2017: SAIBA COMO ASSISTIR AOS JOGOS
RELEMBRE COMO FOI A ÚLTIMA CONQUISTA DA LIBERTADORES PELO FLAMENGO

O custo atípico citado por Fred foi de R$1,708 milhões por causa da preparação do estádio e outros R$ 424.993,01 com a operação da partida. O dirigente trata a realização de Flamengo x San Lorenzo no Maracanã como um espetáculo para os torcedores, mas não como uma solução rentável para os cofres rubro-negros.

“Deu lucro, claro. Não foi substancial, não foi proporcional à renda que tivemos, que cercou os R$ 3,6 milhões. De resultado líquido, o Flamengo teve lucro de 20% (R$ 750.660,16). O Flamengo quis viabilizar esse jogo. Era importante a estreia no Maracanã. É um brinde para a nossa torcida. Mas, esse tipo de custo por jogo não é viável. São pouquíssimos jogos que têm receita acima disso”, afirmou.

A expectativa do Flamengo, é de que o Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, esteja pronto antes do dia 12 de abril, quando jogará contra o Atlético-PR, em partida válida pela Libertadores.

A situação do Maracanã continua indefinida, não se sabe qual empresa irá controlar o estádio nos próximos anos.