Bruno acerta com Boa Esporte e time é crucificado nas redes socais

Durante a manhã o goleiro Bruno, recentemente solto da prisão onde cumpria pena pelo assassinato de Eliza Samudio, viajou para Minas Gerais. A especulação na cidade de Juiz de Fora era de que o goleiro estivesse negociando com o Tupynambás. O time, apelidado de Baeta, não confirmou o acerto mas revelou que houve um contato em dezembro de 2016. Mais tarde, foi anunciado que o goleiro na verdade estava acertando contrato com o time Boa Esporte, de Varginha. O clube ainda não se pronunciou oficialmente e não atendeu às ligações para comentar a negociação.

Nas redes sociais, todos os torcedores, amantes do futebol e até quem não gosta de futebol já tomou partido na situação. Centenas de pessoas tuitaram criticando o time pela contratação. Outras várias pessoas foram até a página oficial do clube no Facebook fazer um “vomitaço” nas publicações, além de publicar críticas duras ao time. A tentativa da equipe de assessoria do Boa Esporte em apagar os comentários e publicações foi em vão, pois o público logo voltou a expressar sua opinião.

A revolta das pessoas foi tanta que criaram até uma petição online contrária a contratação. A meta era colher 200 assinaturas, mas até o momento desta publicação 222 pessoas já haviam assinado a petição. A petição vem acompanhada do seguinte apelo: “Nós, torcedores e simpatizantes do BOA ESPORTE, exigimos que a diretoria do time desista da esdrúxula ideia que jamais deveria ter sido cogitada de contratar o goleiro Bruno. Absurdo sequer imaginar um cidadão condenado pela morte, com requintes de crueldade e frieza, de sua ex‐namorada e mãe do seu filho. Somos contra qualquer tipo de violência contra a mulher. Pelo respeito ao público feminino, pelo repúdio à violência nos estádios e na sociedade. Pela vida e pela paz, goleiro Bruno no BOA ESPORTE, jamais!”

Bruno foi preso em 2010 após o desaparecimento de sua amante, Eliza Samudio. Após a investigação, a polícia chegou a conclusão que o goleiro havia sido mandatário do assassinato, além de ter sequestrado o mantido o seu filho em cárcere privado. Em 2013 ele foi condenado a 22 anos e três meses pelo assassinato e ocultação do cadáver de Eliza, além do sequestro do seu filho. A pena foi aumentada por ele ter sido considerado o mandatário, mas foi reduzida depois de ter tido bom comportamento. O goleiro foi solto na sexta-feira, 24, graças a um habeas corpus.

Confira abaixo algumas das publicações a respeito da contratação:



Amo escrever e entrei no Jornalismo desde o início com a intenção de fazer esporte e levar a presença feminina para um meio tão masculino. Amo futebol mas descobri nos últimos anos um amor enorme pelas lutas.