Portuguesa joga mal e é eliminada em casa pelo Boavista-RJ

Reprodução Foto: Facebook Oficial Portuguesa

Na última quarta-feira (22), a Portuguesa recebeu o Boavista/RJ pela segunda fase da Copa do Brasil 2017. A equipe do Canindé jogava em casa embalada pela torcida e por 3 vitórias consecutivas, mas quem fez a festa foi o Boavista que bateu a lusa por 2×0 em um péssimo jogo de futebol.

OPINIÃO DO JOGO:

Jogo fraquíssimo tecnicamente, o Boavista bem postado em campo não deu chance da lusa penetrar em sua defesa e foi oportunista, fez um gol em um belo chute de longe e fez o segundo gol em um contra-ataque no final do jogo, muito bem armado.

LEIA MAIS:
CEARÁ X FLAMENGO: ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS DA PARTIDA
COM EXPULSÃO POLÊMICA E ‘BRIGA’ COM PALMEIRENSES, GABRIEL É O PERSONAGEM DO CLÁSSICO

A Portuguesa jogou muito mal, o time não conseguia trocar passes, muitos erros principalmente no segundo tempo, a lusa só teve uma única chance de gol com Adilson, quando o goleiro Felipe do Boavista espalmou a bola na pequena área e o centroavante lusitano perdeu um gol feito.

Com apenas uma única jogada, a Portuguesa fez mais de 1500 pagantes sofrerem. O time não tinha postura dentro de campo, era apático, faltava movimentação no time que foi neutralizado facilmente pela defesa carioca. A única jogada da lusa na partida era bola na área, e mesmo assim o técnico Tuca Guimarães tirou o único homem de área (Adilson) e colocou outro atacante que não ficava dentro da área.

Com substituições erradas, a equipe piorou mais ainda e via mais dificuldades do que antes. Enquanto o Boavista cozinhava o jogo e “catimbava” o máximo possível, a “malandragem” dos experientes jogadores do Boavista/RJ venceu a inexperiência dos jovens lusitanos…

FICHA TÉCNICA:

ESCALAÇÕES:

PORTUGUESA:
Ricardo Berna; Bruno Santos, Vinicius Gouvêa, Everton, Rômulo; Dinho (Mateo Bustos), Michel, Tarík, Bruno Farias (Bruno Xavier); Luisinho e Adilson (Brunão).

Técnico: Tuca Guimarães.

BOAVISTA:
Felipe; Thiaguinho (Vitor Faíska), Maicon, Antônio Carlos, Lucas Rocha; Gustavo Geladeira, Maranhão, Erick Flores, Pedro Botelho, Fellype Gabriel (Marquinho Alves); Mosquito (Thiago Amaral).

Técnico: Joel Santana.

GOLS: Vitor Faíska (aos 15 do 2ªT) e Lucas Rocha (aos 45 do 2ªT)

Público: 1.559 pagantes.

Cartões: Dinho (Portuguesa) – Cartão Amarelo.