Guerra teve noite de vilão, mas pior do Palmeiras foi Eduardo Baptista; veja as notas!

Palmeiras
Foto: Arte / Rogério Lagos / Torcedores.com

Mesmo com um jogador a mais (desde a expulsão do volante Gabriel ainda na etapa inicial), o Palmeiras não soube tirar proveito em campo no clássico contra o Corinthians, em Itaquera, e foi derrotado por 1 a 0 pelo Campeonato Paulista. Na maior parte do tempo, o Verdão atuou de forma muito cadenciada e ousou pouco para quem tem melhor elenco indiscutivelmente que o rival.

A seguir, o Torcedores.com avalia a atuação de cada um dos jogadores do Palmeiras no dérbi. Confira!

32248174043_7028bec752_b

FERNANDO PRASS – 5,5
– Não comprometeu o resultado e foi pouco acionado ao longo da partida. Não teve culpa no gol de Jô. 

JEAN – 5,5
– Participou bastante do jogo principalmente nos cruzamentos para a área do Corinthians, porém tentou pouco os chutes de longa distância, que é uma de suas principais qualidades. Quase surpreendeu Cássio em uma bola cheio de efeito no segundo tempo. 

MINA – 6,0
– Mostrou segurança na defesa e soube bem anular Kazim. Até fez um gol, mas bem anulado pela arbitragem. Não foi culpado no lance do gol corintiano.

VITOR HUGO – 4,5
– Fez muitas faltas, e algumas sem necessidade, como a do segundo tempo em que recebeu cartão amarelo. No final do jogo, deu uma cotovelada em Pablo que poderia lhe render a expulsão direta. 

ZÉ ROBERTO – 6,0
– Foi um dos únicos jogadores que tentou colocar a bola no chão e dar calma ao time, principalmente na etapa inicial. Portou-se bem na marcação, e quase “salvou” o erro de Guerra que resultou no gol do Corinthians. 

FELIPE MELO – 5,5
– Saiu no segundo tempo por causa do corte no supercílio, mas até lá, foi um dos protagonistas do Verdão em campo. Além da liderança, o camisa 30 deu lançamentos e fez desarmes precisos. mesmo tendo levado cartão amarelo logo no começo da partida por um carrinho perigoso. 

THIAGO SANTOS – 5,0
– Substituiu Felipe Melo no segundo tempo e passou a ser o homem à frente da zaga. Sobrou raça e disposição, que são as suas características. Não comprometeu. 

RAPHAEL VEIGA – 4,5
– Sentiu bastante o peso do primeiro clássico. Levou cartão amarelo logo no início do primeiro tempo e continuou cometendo faltas desnecessárias. Além disso, Raphael Veiga foi bem tímido na armação e pouco produziu para o ataque alviverde. Foi substituído no intervalo por Guerra.

GUERRA – 3,0
– Entrou bem no segundo tempo e tentou mudar a característica do time, que jogou a etapa com um jogador a mais. Deu qualidade no passe, procurou mais a bola, mas cometeu erro crasso no finalzinho ao perder bola que resultou no gol de Jô. Foi do céu ao inferno. 

MICHEL BASTOS – 4,5
– Procurou pouco o jogo e não deu o dinamismo no ataque alviverde. Na etapa final de jogo, mal apareceu.

DUDU – 5,5
– Buscou o jogo com assistências e toques. Em várias vezes, todavia, retardou o ataque ao prender demais a bola. Faltou ser mais objetivo.

WILLIAN – 5,5
– Um dos únicos a finalizar contra o gol de Cássio. No segundo tempo acertou a trave com chute de fora da área e tentou dar mobilidade ao ataque palmeirense. 

ALECSANDRO – 4,5
– Mal tocou na bola no tempo em que esteve em campo e ainda levou cartão amarelo no final por jogar a bola no adversário. 

KENO – 5,5
– Boa aposta de Eduardo Baptista. Deu velocidade pela ponta direita, acertou a trave de Cássio no primeiro tempoi e obrigou o goleiro corintiano a fazer excelente defesa na etapa final. 

33022179456_498f40021e_b

EDUARDO BAPTISTA – 3,0
– Teve muita culpa no resultado ao não aproveitar a vantagem de um jogador a mais em campo durante o segundo tempo. Errou na substituição de Alecsandro no lugar de Willian Bigode, e de colocar outro volante de marcação, no caso Thiago Santos, na vaga de Felipe Melo, de mesma função. Manteve o time com a postura pouco inspirada do primeiro tempo, sem ousadia e com a impressão de que venceria a qualquer momento. 

CAMISAS DO PALMEIRAS:



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.