Conheça um pouco mais sobre a carreira de Luiz Ceará

Crédito da foto: Reprodução

Sem dúvidas podemos considerar Luiz Ceará como um dos maiores jornalistas esportivo do Brasil. Ele leva em sua bagagem 3 Olimpíadas, 4 Copas do Mundo, inúmeros jogos e finais de campeonatos. Além de milhares de histórias de deixar qualquer colega de profissão e amantes do futebol fascinados. Fomos até a casa dele bater um papo, como ele mesmo disse: “para conhecer um pouco mais sobre a vida e a carreira de Luiz Ceará”.

Ele nos contou que nem sempre quis ser jornalista. Antes disso, ele tentou seguir carreia na música, sua maior paixão.

“Fui músico desde os 14 anos. Tocava em alguns bailes. Passei por alguns grupos até vir para o Rio de Janeiro e viver de música. Entrei para um conjunto chamado Banda do Brejo. Eu era o baterista da banda e também cantava. A banda era muito profissional, gravamos um disco que foi bem aceito pelo público. Tocávamos em programas de TV, abríamos shows do Chacrinha. Chegamos a gravar uma música para um especial da Globo chamado ‘Obrigado Doutor’”.

Perguntado se ele ainda dava uma palhinha, e ele contou sobre suas apresentações nas olimpíadas de Seul.

“Em Seul, eu e mais alguns jornalistas brasileiros formamos o Brazilian Broadcast Band. Nós tocávamos toda noite no pub da vila a troco de cerveja. Chamamos tanto a atenção que uma tv coreana foi fazer uma reportagem com a gente. Foi a última vez que me aventurei na música”.

E foi em uma de suas aventuras musicais que Ceará decidiu que queria ser jornalista esportivo.

“Eu sempre gostei de escrever, escrevia letras de músicas e algumas coisas particulares. Um dia um amigo meu, o maestro Laércio de Freitas, estava produzindo um disco da Elza Soares e perguntou se eu não queria mostrar uma das minhas músicas pra ela. Nós fomos até o apartamento dela, e enquanto estávamos conversando na sala, sem mais nem menos entrou o Garrincha. Como um amante do futebol, no momento que ele apareceu e cumprimentou a gente, eu decidi ser jornalista esportivo.”

Com uma carreira recheada de momentos históricos, Luiz Ceará falou sobre a final da Copa do Mundo de 1994 nos Estados Unidos, na qual ele foi o único jornalista que conseguiu entrar em campo.

“Pra mim foi o momento mais importante da minha carreira. Nós conseguimos credencias de fotógrafo e fiquei atrás do gol do Brasil. E dei muita sorte que as cobranças de pênaltis foram justamente nesse gol. Aquilo foi muito emocionante, pois era um título em disputa e eu saia que o Taffarel era pegador de pênalti. E o Roberto Baggio tremeu. Ele viu o Taffarel na frente dele, o gol ficou pequeno e ele deu aquele chute por cima. E a gente tava atrás do gol chorando de emoção. Então eu tirei o microfone que tava escondido dentro da minha camisa e saí entrevistando todo mundo.”

E com milhares de entrevistas feitas ao longo da carreira, Ceará não consegue escolher qual foi a melhor entrevista que ele já fez, mas com certeza existe uma que marcou sua vida:
“Eu fiz duas entrevistas com o Pelé muito legais. E foi em uma dessas entrevistas que eu acabei conversando com um médico, minha mulher acabou fazendo um tratamento e acabamos tendo mais um filho. Foi através do Pelé.”

Confira a entrevista na íntegra no Canal do Paixão Por Chuteiras: