Zenon, ex-Corinthians, critica nível técnico do Brasileirão: “campeão teve nota 6,5”

Foto: Reprodução/ESPN

Ídolo do Corinthians na década de 80, o ex-meia Zenon foi o convidado do programa “Bate-Bola”, na manhã desta quarta-feira, na ESPN Brasil, e fez críticas ao nível e qualidade técnica do Brasileirão. Para ele, o campeão Palmeiras foi um time pragmático, com nota 6,5.

“O que aconteceu no Campeonato Brasileiro foi que o time que apresentou menos erros, um time na minha opinião nota 6,5, conseguiu ser campeão brasileiro. Acho que este foi um dos piores campeonatos brasileiros em termos de nível e qualidade técnica dos clubes”, disse Zenon.

VEJA MAIS:
Saiba quais são os brasileiros com mais participações na Libertadores 
Copa Sul-Americana ainda pode ter os quatro grandes paulistas em 2017 

O ex-jogador destacou a força do conjunto palmeirense e elogiou a participação do veterano Zé Roberto na campanha do título, dando alfinetadas em quem criticava o meia/lateral-esquerdo.

“O Palmeiras foi campeão devido à força de seu conjunto, de ser um time pragmático e muito eficaz naquilo que foi determinado a fazer dentro de campo, sem ter craques. Quem brilhou foi o Dudu, principalmente nas últimas rodadas. Foi o cara diferenciado, lógico contando com a experiência de Zé Roberto, que muita gente em diversas ocasiões falou: ‘este cara tem que parar de jogar bola, já está com 41, 42 anos’. Não sei o que estes caras estavam pensando, porque era o Zé Roberto que motivava o time e era o cara que mostrava como se deveria jogar. Muita gente da imprensa cansou de criticar Zé Roberto. Parece que os caras só olham certidão de nascimento e não olham o que está produzindo dentro de campo”, disparou.

Zenon mostrou contrariedade com a fórmula por pontos corridos no Brasileirão e deixou clara a sua preferência pelo mata-mata, que segundo ele dá mais chances aos pequenos clubes surpreenderem os grandes.

“São apenas 10 ou 12 times que disputam o título (nos pontos corridos). Os outros entram para ser sparring e não cair de divisão. Essa é a grande verdade de um campeonato por pontos corridos. Não gosto desta fórmula de disputa, para mim deveria ser mata-mata, porque assim daria chances aos clubes pequenos sonharem em chegar ao mata-mata e assim surpreenderem os grandes como acontece no Campeonato Paulista”, opinou.

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)